Morte do ex-governador Siqueira Campos completa um ano; relembre história e confira homenagens

-- Publicidade --

Nesta quinta-feira, 4 de julho, faz um ano que o Tocantins se despediu do ex-governador José Wilson Siqueira Campos, carinhosamente apelidado de “Siquerido”. Personagem histórico do Estado, faleceu aos 94 anos após enfrentar quadro delicado de saúde.

A família de Siqueira realiza no final da tarde de hoje uma missa em homenagem à memória do ex-governador. O amigo pessoal e cantor Mocayr Franco confirmou presença. A missa acontece a partir das 18h30, na Catedral Divino Espírito Santo, em Palmas.

Homenagens

Após o falecimento de Siqueira Campos, diversas homenagens foram aprovadas por todo o Tocantins, dentre elas a mudança do nome do Palácio Araguaia, sede do Poder Executivo do Estado, que passou a se chamar Palácio Araguaia Governador Siqueira Campos. Lei sancionada pelo governador Wanderlei Barbosa é de autoria do presidente da Assembleia Legislativa, Amélio Cayres, aprovada por todos os demais parlamentares da Casa.

Em maio deste ano o Governo do Estado sancionou a nova nomenclatura da ponte sobre o Lago de Palmas (lei nº 4.392), conhecida como Ponte da Amizade, que passou a se chamar Ponte Governador José Wilson Siqueira Campos.

Na Assembleia, foi aprovada em março deste ano proposta do deputado Eduardo Mantoan, que cria a Comenda Grã-Cruz Governador Siqueira Campos. Projeto de Lei do deputado foi apresentado no dia 4 de julho de 2023, horas antes do anúncio da morte de Siqueira. Considerada a maior honraria da Casa de Leis, a Comenda Grã-Cruz Governador Siqueira Campos foi criada para ser entregue a personalidades com relevantes serviços prestados ao Estado.

Em Araguaína está em andamento as obras da Avenida Governador Siqueira Campos. A via é considerada a maior obra de infraestrutura urbana e viária já realizada na história do município e, quando finalizada, fará ligação da Via Norte com diversos bairros.

Nessa terça-feira, 2 de julho, Gurupi inaugurou a nova sede da Câmara Municipal de Vereadores, eternizada de Câmara de Vereadores Governador José Wilson Siqueira Campos.

Em Axixá, homenagem em forma de estátua gigante, no centro da cidade. O prefeito Auri-Wulange inaugura nessa sexta-feira, 5 de julho, monumento localizado em rotatória no cruzamento da Avenida Elza Leal com a Rodovia TO-201, área de grande visibilidade. O monumento, erguido pela administração municipal, foi projetado para simbolizar a importância de Siqueira Campos na história do Tocantins.

Foto: Bico Notícias/Instagram

História de um visionário

Siqueira Campos nasceu em Crato, Ceará, no dia 1º de agosto de 1928, filho do pernanbucano Pacífico Siqueira Campos – que tinha a profissão de seleiro e sapateiro – e de Regina Siqueira Campos.

Órfão aos 12 anos, depois da mãe falecer em trabalho de parto, viajou pelo País por quase dez anos, em busca de oportunidade, chegando a passar parte da adolescência nas ruas. Passou pelos Estados do Amazonas (onde foi seringueiro), Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Trabalhou em vários ofícios em diversas cidades, até chegar à cidade de Colinas de Goiás, atual Colinas do Tocantins, na região norte do Estado.

Em Colinas, Siqueira começou a trabalhar como madeireiro e fundou a Cooperativa Goiana de Agricultores. Posteriormente foi candidato a vereador, tendo sido eleito em 1965 com maior votação, fato que o credenciou para ser escolhido presidente da Câmara (1966), vindo ainda a liderar o movimento popular que pedia a criação do Estado Tocantins. Era então filiado a Arena, mas, ao longo de sua carreira política também integrou o PDS, PDC, PFL, PL e PSDB.

Siqueira também foi eleito deputado federal, reeleito por mais quatro mandatos, permanecendo no cargo entre 1971 e 1988, enquanto representante do norte goiano. Chegou a fazer uma greve de fome de 98 horas em favor da causa separatista. Siqueira foi deputado federal Constituinte e relator da Subcomissão dos Estados da Assembleia Nacional Constituinte, tendo redigido e entregado ao presidente da Assembleia Constituinte (deputado Ulisses Guimarães) a fusão de emendas (conhecida como Emenda Siqueira Campos) que, aprovada, deu origem ao Estado do Tocantins, com a promulgação da Constituição Federal de 1988.

A criação do Tocantins, pelos deputados membros Assembleia Constituinte, finalizou uma luta de quase 200 anos dos moradores do então Norte de Goiás em prol da divisão do Estado. Com o Tocantins finalmente criado, Siqueira Campos se elegeu o primeiro governador, para mandato tampão de dois anos (de 1º de janeiro de 1989 a 15 de março de 1991). Naquelas eleições foi eleito na oposição aos governos federal e estadual de Goiás, sendo que este último ainda exercia grande influência sobre política do recém-criado Tocantins. Foi o fundador de Palmas, contribuindo para a construção da capital tocantinense que é a última cidade brasileira planejada do século 20.

Siqueira exerceu o cargo de governador do Estado do Tocantins por quatro mandatos (de 1989 a 1991, de 1995 a 1998, 1999 a 2002 e de 2011 a 2014). Renunciou ao cargo de governador do Tocantins em 5 de abril de 2014, juntamente com o vice João Oliveira (DEM). Posteriormente, nas eleições de 2018, colocou seu nome para a disputa de uma vaga ao Senado da República, mas na sequência, em decorrência das condições de saúde retirou seu nome da disputa e apoiou o atual senador Eduardo Comes (PL), ficando na sua suplência, vindo a assumir o cargo em 16 de julho de 2019 após licenciamento do titular Eduardo Gomes.

Siqueira venceu as eleições de 1994 liderando a coligação União do Tocantins, um grupo de partidos que se tornou a maior força política do Estado, mobilizando um grande poder político no Estado por 10 anos, até seu rompimento em meados dos anos 2000.

Foto: Márcio Di Pietro
Banner825x120 Rodapé Matérias
você pode gostar também