Primeiro lote de vacinas da Pfizer, com 1 milhão de doses, chega a SP

Remessa será distribuída a capitais e terá primeira dose aplicada em até cinco dias. Em maio e em junho serão 14,5 milhão de doses

Tempo estimado para leitura: 3 minuto(s)


O primeiro lote com 1 milhão de doses da vacina contra covid-19 da Pfizer ao Brasil chegou na noite desta quinta-feira (29), no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas. A entrega do lote foi acompanhada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o presidente regional da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo.

Essas primeiras doses foram produzidas na fábrica da Pfizer em Puurs, na Bélgica. A remessa faz parte do acordo firmado entre o Ministério da Saúde e a farmacêutica em março para a aquisição e entrega de 100 milhões de doses de vacinas até o final do terceiro trimestre de 2021.

A entrega do lote foi antecipada após apelo do governo federal à Pfizer, devido à situação dramática da pandemia no Brasil. Nesta quinta-feira (29), o Brasil ultrapassou a marca de 400 mil vítimas da covid-19.

A maior parte do lote comprado pelo governo federal será entregue somente no terceiro trimestre de 2021. Serão 84 milhões de doses neste período, segundo cronograma do ministério da Saúde. Em maio, o Brasil deve receber mais 2,5 milhões, e em junho, outras 12 milhões.

“Vacina é sinônimo de esperança, esperança do fim da pandemia e do retorno da nossa vida normal, onde poderemos nos abraçar e assegurar o sustento de nossas famílias”, disse o ministro Marcelo Queiroga. Em seu pronunciamento, ele também afirmou que o governo federal deve distribuir 36,8 milhões de doses de vacinas nos próximos seis dias.

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Congresso Nacional, comemorou pelas redes sociais a chegada dos imunizantes. “O Brasil acaba de receber 1 milhão de doses da vacina da Pfizer/BioNTech, de um total de 100 milhões de doses, cuja aquisição pelo Governo Federal foi viabilizada pela Lei 14.125/21, que tive a satisfação de ser o autor. Isso é um exemplo de que a união gera resultados efetivos.”

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante a cerimônia de entrega das doses
REUTERS/AMANDA PEROBELLI – 29/04/2021

A vacina da Pfizer possui registro para uso definitivo concedido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O imunizante pode ser aplicado em pessoas a partir de 16 anos de idade, em duas doses, com intervalo de 21 dias entre elas.

A logística de distribuição das vacinas da Pfizer leva em conta as baixas temperaturas de refrigeração das doses, que chegaram ao Brasil armazenadas em caixas a uma temperatura de -70°C. A previsão é de que a distribuição para as 27 capitais comece entre sexta-feira (30) e sábado (1°), em uma divisão proporcional.

Os estados vão receber as vacinas armazenadas entre -25°C e -15°C – elas podem ficar nesta faixa de temperatura por até 14 dias. Por conta disso, a distribuição desse lote inicial será feita em duas etapas: primeiramente, serão enviadas aos estados e Distrito Federal as vacinas destinadas para a primeira dose (500 mil). Uma semana depois, as Unidades Federativas receberão os lotes para segunda dose (500 mil), respeitando o intervalo de aplicação entre uma dose e outra.

Assim que os imunizantes chegarem nas salas de vacinação, na rede de frio nacional (+2°C a +8°C), a aplicação na população deve ocorrer em até cinco dias. Devido ao curto espaço de tempo, o Ministério da Saúde está orientando, para essa primeira remessa, que a vacinação com as doses da Pfizer fique restrita às capitais e, se possível, ocorra em unidades de saúde que possuam câmaras refrigeradas cadastradas na Anvisa.

Fonte r7
você pode gostar também