Falta de manutenção na ponte FHC pode contribuir para acidentes

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


otoristas reclamam da falta de manutenção na ponte Fernando Henrique Cardoso, que liga Palmas a Luzimangues, distrito de Porto Nacional. A sinalização está precária e contribui para acidentes.

Nesta segunda-feira (12), cinco carros e uma carreta se envolveram em um engavetamento na ponte. Três pessoas foram socorridas pelos Bombeiros. O trânsito ficou parcialmente interditado. No ano passado, de janeiro a julho, cinco pessoas morreram em acidentes registrados no local.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

A estrutura tem 8 km de extensão, dois radares eletrônicos e apenas uma câmera monitora o trânsito. A velocidade máxima permitida: 70 km/h, mas mesmo assim, muita gente desrespeita.

O aposentado Levi Alves mora em Paraíso do Tocantins e precisa passar pela ponte para ir a capital. Já presenciou muita ultrapassagem proibida no local. “Pessoas jogando lá para a contramão para ultrapassar e certamente já houve acidentes aqui.”

A proteção lateral metálica em vários lugares está retorcida. “A sinalização tanto vertical, quanto horizontal está precária. A proteção está estragada. O mato atrapalha a visão nas curvas”, reclama o motorista Renato Gonçalves.

A gerente de fiscalização da Secretaria Municipal de Trânsito, Glauce Kelly de Souza, explica que a ponte é monitorada 24h por dia. As autuações podem ser feitas pelos agentes da sala de monitoramento mesmo. Sobre a quantidade de câmeras, ela disse que é preciso fazer um estudo no local.

“A ponte é responsabilidade nossa por convênio, mas também é responsabilidade do estado. Se todos os órgãos envolvidos puderem fazer a sua parte a fiscalização fica muito boa. Nós colocamos uma fiscalização estratégica em posto mais perigosos, como a subida da ponte, onde não tem acostamento, não se pode ultrapassar.”

Fonte G1 Tocantins
você pode gostar também