Cientistas conseguem medir pressão arterial usando apenas uma câmera

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Pesquisadores da Universidade do Sul da Austrália, em parceria com engenheiros da Universidade Middle Technical, no Iraque, projetaram um sistema capaz de medir a pressão arterial utilizando apenas uma câmera, sem a necessidade de amarrar um manguito inflável (esfigmomanômetro, o famoso aparelho de aferir pressão) ao braço ou ao pulso do paciente.

Segundo os cientistas, a câmera visualiza a testa do usuário, focando em duas regiões distintas, para detectar opticamente os sinais fotopletismográficos que os algoritmos de inteligência artificial (IA) usam para analisar os dados da pressão sanguínea.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

“A pressão arterial é um indicador importante de saúde, mas nosso método atual de medição pode ser um pouco complicado. Manguitos infláveis ​​podem ser desconfortáveis, difíceis de utilizar e imprecisos se não estiverem calibrados adequadamente”, explica o engenheiro Javaan Chahl, autor principal do estudo.

Mais precisão

Durante os testes realizados com 25 voluntários, a câmera mostrou uma precisão para medir a pressão arterial dos pacientes superior a 90%. O sistema consegue fornecer medições confiáveis em menos de dez segundos, sem precisar de contato físico com os usuários.

Câmera usada para medir pressão arterial (Imagem: Reprodução/Universidade do Sul da Austrália)

Os algoritmos de inteligência artificial identificam os dados sobre a pressão sistólica e diastólica do paciente, transformando essas informações em parâmetros que podem ser medidos por um dispositivo portátil, sem a necessidade de fios ou equipamentos pesados.

“Monitorar a pressão arterial é essencial para detectar e controlar doenças cardiovasculares, a principal causa de mortalidade global, responsável por quase 18 milhões de mortes em 2019. Além disso, nos últimos 30 anos, o número de adultos com hipertensão aumentou de 650 milhões para 1,28 bilhão em todo o mundo”, acrescenta Chahl.

Além da pressão

A equipe por trás dessa tecnologia inovadora desenvolveu sistemas semelhantes de medição no passado, incluindo alguns algoritmos de processamento de imagem capazes de determinar a frequência cardíaca de uma pessoa a partir de cenas geradas por drones.

Eles também criaram outros sistemas de inteligência artificial autônoma que conseguem medir uma grande variedade de parâmetros importantes em recém-nascidos, incluindo frequência respiratória, icterícia, saturação de oxigênio e temperatura em tempo real.

“Nós já usamos essa tecnologia nos Estados Unidos durante a pandemia para monitorar sinais de covid-19 à distância. Com essa precisão superior a 90% para medir a pressão arterial, temos em mãos uma promessa significativa como tecnologia de diagnóstico remoto”, encerra Javaan Chahl.

Fonte canaltech
você pode gostar também
×