‘Negacionismo é querer negar o óbvio’, diz ministro da Saúde em chegada de doses

Marcelo Queiroga esteve no aeroporto de Viracopos, em Campinas, para receber primeira remessa de doses da Pfizer

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Erramos: O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse ao receber o primeiro lote de vacinas da Pfizer no aeroporto de Viracopos, em Campinas, que o “negacionismo é querer negar o óbvio”. Inicialmente, a CNN informou de forma incorreta que o ministro havia dito “negacionismo é querer negar o ódio”. O texto foi corrigido.

A primeira remessa com um milhão de doses da Pfizer chegou ao Brasil nesta quinta-feira (29). O ministro da Saúde e outras autoridades acompanharam a chegada dos imunizantes.

“Nos próximos seis dias nós vamos distribuir 16,8 milhões de doses de vacinas. Não há como negar, negacionismo é querer negar o óbvio. Nós vacinamos a nossa população [em uma escala] sem precedentes. A verdade vos libertará, vamos conhecer a verdade, vamos confiar no governo”, afirmou o ministro, citando versículo da Bíblia.

A expectativa é que o governo federal inicie a entrega das doses da Pfizer aos governadores a partir deste sábado (1). Ao longo da semana, mais 650 mil doses do imunizante serão enviadas ao Brasil. No mês de maio, o acordo é de 2,5 milhões doses, e até o final de junho, 15 milhões de vacinas Pfizer/BioNTech deverão ser entregues.

“Recebemos a incumbência do nosso líder, o presidente Jair Bolsonaro, de estar hoje no aeroporto de Viracopos para receber os imunizantes. O governo federal tem que levar imunizantes que sejam efetivos e que sejam aprovados pelas nossas vigilâncias sanitárias, é assim que vamos conquistar a confiança”, disse Queiroga.

O ministro destacou que o imunizante teve pesquisa realizada no Brasil. “Milhares de brasileiros participaram de ensaios clínicos, esse é o compromisso do governo federal com a ciência, com o desenvolvimento de pesquisas de qualidade. Vamos continuar firmes para vacinar a nossa população”.

 

Fonte cnnbrasil
você pode gostar também