PT quer apuração rápida da polícia sobre tiroteio e critica postagem de Tarcísio

Polícia investiga tiroteio em Paraisópolis durante agenda de Tarcísio de Freitas; campanha falou em "atentado"

Tempo estimado para leitura: 1 minuto(s)


O coordenador do programa de governo de Fernando Haddad, deputado estadual Emídio de Souza (PT), afirmou que é preciso evitar “certas versões” e, por isso, é preciso uma resposta rápida da polícia sobre o tiroteio em Paraisópolis, em São Paulo.

“É preciso saber se o alvo foi a comitiva ou se era um tiroteio na comunidade. É preciso uma atuação rápida para não ter distorções “, afirmou por telefone. O PT também não descarta ações mais ativas para cobrar a resolução do caso.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

Tarcísio de Freitas (Republicanos) participava da inauguração do Primeiro Polo Universitário de Paraisópolis, na manhã desta segunda-feira (17), quando tiros foram disparados no local.

Logo após o caso, candidato ao governo de São Paulo chegou a publicar nas redes sociais que a comitiva foi “atacada por bandidos”. A Secretaria de Segurança Pública afirmou que não descarta nenhuma hipótese.

Parte da campanha do PT também criticou a postagem de Tarcísio nas rede sociais. Integrantes da direção petista acreditam que a publicação creditando o caso a um ataque político, antes mesmo da manifestação da polícia foi irresponsável. “Não se pode brincar com coisa séria”, disse o secretário nacional de comunicação do PT e deputado federal eleito, Jilmar Tatto.

Fonte cnnbrasil
você pode gostar também
×