Paulo Guedes: ‘Um presidente rompedor’ pode dar fim ao sistema de ‘piratas e pântano’

Ministro criticou os “recursos carimbados”, aqueles previstos no orçamento para determinados programas, que não podem sofrer alterações.

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Liberal convicto e orgulhoso do anúncio de facilitação ao saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) que o governo fazia naquele momento, o ministro da Economia, Paulo Guedes, mandou diversos recados à diferentes setores em seu discurso a tarde desta quarta-feira (24) no Palácio do Planalto.

Usou termos como “chiqueirinho” para se referir à iniciativa privada, criticou recursos travados – “dinheiro carimbado” – e exaltou a atual gestão do presidente Jair Bolsonaro.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

“Só tem um jeito de derrubar isso [dinheiro carimbado]. Tem que ter um presidente rompedor”, disse olhando para o chefe Jair Bolsonaro que acompanhava calado sua fala.

E continuou: “Junta um pirata privado, uma criatura do pântano, mais um corrupto ali no canto, cria um fundinho. Eles ficam ali. Já morreram todos eles e o dinheiro está carimbado, ninguém pode pegar”.

Guedes citou exemplos dessas verbas travadas, que não podem ser usadas em outras atividades. Funciona assim: o orçamento prevê valores específicos para determinados programas e o dinheiro não pode ser misturado ou destinado à outra coisa. É justamente essa a crítica do ministro.

“O ministro Tarcísio [Gomes, da Infraestrutura] me disse ontem que tem fundos que chegam a quase R$ 30 bilhões, e ele de pires na mão pedindo R$ 6 bilhões para acabar as estradinhas para escoar produção agrícola. Como pode? Aí tem o ministro Sérgio Moro [Justiça e Segurança Pública] querendo aumentar a Força Nacional pedindo R$ 500 milhões, e tem um Fundo Penitenciário de R$ 1,5 bilhão”, exemplificou Paulo Guedes.

Segundo o chefe da Economia, a liberação de saques do FGTS de R$ 500 neste ano e dos saques-aniversário a partir de 2020 – quando serão calculados de acordo com o saldo – ”é apenas um passo inicial”. “Estamos só tocando na superfície do problema. Vamos dar um passo mais avançado no segundo semestre com o pacto federativo e vamos começar a descarimbar o dinheiro”.

As regras anunciadas nesta quarta têm a intenção de injetar R$ 42 bilhões na economia até o ano que vem — 28 bilhões do FGTS, R$ 2 bilhões do PIS/Pasep e R$ 12 bilhões do saque-aniversário.

De acordo com o governo, 96 milhões de pessoas terão acesso ao saque imediato neste ano. Isso porque a maioria dos trabalhadores que possuem FGTS têm saldos de até R$ 1,4 mil.

De acordo com o ministro, o saque-aniversário representa “uma alternativa a mais para o trabalhador”, além das situações em que já é possível sacar o FGTS (veja abaixo). “É um aumento de renda permanente, se você fica empregado. Vai receber um salário extra todo ano. Não é um teco do voo da galinha, é um aumento de renda permanente se você ficar empregado. Lutar para continuar empregado e fazer bem seu trabalho, vai receber um salário extra todo ano”, destacou Guedes.

Fonte Huff Post
você pode gostar também