No Twitter, Bolsonaro compartilha entrevista ‘distorcida’ para acusar jornalista

Tempo estimado para leitura: 3 minuto(s)


No domingo (11), o site Terça Livre compartilhou um texto afirmando que a repórter do Estado de S. Paulo Constança Rezende teria declarado que “a intenção é arruinar Flávio Bolsonaro e o governo”, ao tratar da cobertura jornalística das movimentações suspeitas de Fabrício Queiroz, ex-motorista do senador e filho do presidente.

Mais tarde, o próprio presidente Jair Bolsonaro compartilhou, em sua conta no Twitter, o vídeo. “Constança Rezende, do ‘O Estado de SP’ diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o Impeachment do Presidente Jair Bolsonaro. Ela é filha de Chico Otavio, profissional do ‘O Globo’. Querem derrubar o Governo, com chantagens, desinformações e vazamentos”, escreveu Bolsonaro.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

A suposta declaração de Constança Rezende, que aparece entre aspas no título do texto do Terça Livre, teria sido dada, segundo “denúncia” de um jornalista francês, em uma conversa gravada. Na gravação do diálogo, porém, Constança não fala em “intenção” de arruinar o governo ou o presidente.

A conversa, em inglês, tem frases truncadas e com pausas. Apenas trechos foram divulgados. Em determinado momento, a repórter avalia que “o caso pode comprometer” e “está arruinando Bolsonaro”, mas não relaciona seu trabalho a nenhuma intenção nesse sentido.

O Terça Livre, com base na “denúncia” de Jawad Rhalib, que se apresenta como jornalista francês, atribui, de forma equivocada, à repórter a publicação da primeira reportagem sobre as investigações do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) sobre a movimentação atípica de R$ 1,2 milhão nas contas de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro. O autor da primeira reportagem foi Fabio Serapião, também do Estado.

“Desde que Constança iniciou a temporada de caça aos Bolsonaro no ‘Estadão’, emissoras como a Rede Globo e jornais como Folha de São Paulo seguiram o mesmo caminho”, diz o texto do Terça Livre. “Uma enxurrada de acusações em horário nobre, capas de revistas e nas primeiras páginas de jornais colocaram a integridade moral do filho do presidente em xeque.”

Terça Livre

No Twitter, o editor do Terça Livre, Allan dos Santos, acusou a jornalista do Estado de “confessar” a intenção de prejudicar o filho de Bolsonaro e o governo.

De acordo com o Estadão, Constança Rezende não deu entrevista nem dialogou com o jornalista francês citado pelo Terça Livre. As frases da gravação foram retiradas de uma conversa que ela teve, em 23 de janeiro, com uma pessoa que se apresentou como Alex MacAllister, suposto estudante interessado em fazer um estudo comparativo entre os presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro.

*Com Estadão Conteúdo.

Fonte JovemPan
você pode gostar também