“Não vamos recorrer”, diz Bolsonaro sobre gratuidade dos transportes no 2º turno

Atendendo a um pedido da Rede Sustentabilidade, o STF formou maioria para liberar que prefeitos ofereçam deslocamento gratuito de passageiros

Tempo estimado para leitura: 1 minuto(s)


Em coletiva de imprensa, o candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), afirmou que não vai recorrer da decisão do Supremo Tribunal Federal que liberou a gratuidade dos transportes públicos no dia da eleição. O caso está sendo julgado pelo plenário virtual da Corte, que formou maioria na tarde desta quinta-feira (19).

-- Publicidade --

-- Publicidade --

“Nós poderíamos recorrer, mas não vamos. Vamos deixar todos que possam votar que votem e que facilite a vida das pessoas que não tem recurso para pagar o transporte para a votação. Todos vão votar”, disse Bolsonaro.

Na última terça-feira (18), o ministro do STF Luís Roberto Barroso havia liberado que prefeitos e concessionárias oferecessem transporte público de forma gratuita à população durante o período de votação, atendendo a um pedido da Rede Sustentabilidade.

Barroso entendeu que a gratuidade no transporte público não pode ser imposta por não haver estimativa de custo e devido à proximidade do pleito. Ainda assim, destacou que recomenda que todos os municípios que tenham condição de adotar a medida que assim a façam.

No primeiro turno, pouco mais de 20% da população não compareceu às urnas. Esse percentual é maior entre pessoas mais pobres – setor da sociedade em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem maioria

Fonte cnnbrasil
você pode gostar também
×