Ministro do STF sugere ‘mordaça’ em Bolsonaro para evitar falas polêmicas

Bolsonaro ironizou desaparecimento de estudante durante a ditadura e deu declarações falsas sobre o caso

Tempo estimado para leitura: 1 minuto(s)


Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello demonstrou preocupação com algumas das últimas falas do presidente Jair Bolsonaro. Ao portal UOL, o juiz deu uma sugestão heterodoxa para controlar a língua do chefe do executivo.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

“São tempos estranhos. Aonde vamos parar? No mais, apenas criando um aparelho de mordaça”, disse ele quando perguntado sobre como fazer para acabar com as sucessivas falas destemperadas para um presidente da República.

Na sua última demonstração de irritação, Bolsonaro sugeriu que Fernando Santa Cruz, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, e desaparecido depois que foi preso durante a ditadura militar, teria sido assassinado e sabia o paradeiro dele.

“Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, eu conto pra ele. Ele não vai querer ouvir a verdade”, comentou, para depois dizer que o ex-militante foi executado por companheiros esquerdistas que suspeitavam de traição.

Outro ministro do STF ouvido pelo UOL também se manifestou, mas preferiu não revelar sua identidade.

“O pior de tudo é o mau exemplo, a associação do sucesso político ou qualquer outro à incivilidade e à grosseria. Por outro lado, acho que pode ser um marco de como as pessoas não devem ser. A repugnância tem sido geral”, afirmou.

Fonte correio24horas
você pode gostar também