Folha envia 21 perguntas a Joaquim de Carvalho sobre o documentário da fakeada de Juiz de Fora

Tempo estimado para leitura: 6 minuto(s)


247 – O jornalista Ranier Bragon, da Folha de S. Paulo, enviou nesta tarde um questionário, com 21 perguntas, ao jornalista Joaquim de Carvalho sobre o documentário “Bolsonaro e Adélio – uma fakeada no coração do Brasil”, que já alcançou mais de 800 mil visualizações, desde que foi lançado, na noite do último sábado. O tom das perguntas deixa claro que a intenção da Folha não é investigar as fragilidades do caso, que foram detalhadas por Joaquim de Carvalho, com riqueza de detalhes, em seu documentário. Ao contrário, a Folha busca confirmar a versão oficial e desacreditar o trabalho de Joaquim, que vem tendo ampla repercussão. Leia, abaixo, toda a mensagem enviada pelo repórter da Folha:

Boa tarde, Joaquim, meu nome é Ranier Bragon, sou repórter da Folha de S.Paulo, tudo bom?

Estou fazendo uma matéria sobre a repercussão nas redes sociais do ​”Bolsonaro e Adélio – Uma Fakeada no Coração do Brasil” e gostaria de fazer as seguintes perguntas:

-- Publicidade --

-- Publicidade --

1 – Qual ou quais principais elementos inequívocos de seu trabalho você poderia elencar para sustentar o termo “Fakeada” no título do vídeo?

2 – Embora o título faça a ligação direta entre a facada e o termo fake, não há, em suas falas no vídeo, nenhuma afirmação peremptória nesse sentido. Por que?

3 – Em determinado ponto, o sr. afirma haver fortes pistas de que o atentado tenha forjado por Bolsonaro ou a sua equipe com o intuito de haver ganho político. A que o sr. atribuir o fato de a Polícia Federal não ter encontrado nada que permita essa conclusão, em duas investigações?

4 – Se o objetivo do grupo político fosse supostamente promover um atentado falso, com uma facada falsa, por que escolher uma via pública, cercada de celulares e câmaras de imprensa e câmaras de monitoramento, e uma infinidade de pessoas. O risco de serem descobertos não seria muito grande, em sua avaliação?

5 – Se o objetivo do grupo político fosse promover um atentado falso, em que um dos pontos da trama envolvia uma operação de doença pré-existente, por que supostamente tomar um suposto remédio para esse suposto mal na frente das câmaras, ainda exibindo-o ao cameraman?

6 – Se o objetivo do grupo político fosse promover um atentado falso, que contaria com a participação de Adelio Bispo, por que postar nas redes sociais, tanto de Carlos Bolsonaro e do próprio Adélio, informações que ligam ambos ao curso de tiro da .38?

7 –  Se o objetivo do grupo político fosse promover um atentado falso​, por que a insistência em uma nova investigação da PF após a primeira e a segunda?

8 – O sr. encontrou indicativos de que os investigadores da PF (e os integrantes do Ministério Público) também fazem parte da suposta fraude?

9 – Se Adelio supostamente faria parte da suposta trama pelo menos dois meses antes, para que registrar no próprio celular fotos de locais onde Bolsonaro passaria?

10 – Em determinado ponto, é apontado como indicativo suspeito uma suposta eleição em que o prefeito de Juiz de Fora teria vencido após levar uma pedrada na cabeça. O sr. encontrou indicativo de que atentados (reais e forjados) só funcionariam em Juiz de Fora, na visão dos supostos operadores da trama?

11 – vídeo reproduzido do site True or Not traz Bolsonaro batendo na mão de um homem que, segundo o vídeo, faz uma contagem regressiva com uma das mãos. Qual é o objetivo dessa contagem, na avaliação que o sr. tirou com base na sua investigação?

12 – Por que o objetivo dos supostos criminosos seria desviar o foco de um fotógrafo sendo que várias câmaras, incluindo dezenas ou centenas de aparelhos celulares, filmavam a cena?

13 – A se levar em conta a suposição de que a faca foi plantada, o que seria o objeto que aparece nas imagens nas mãos de Adelio?

14 – O vídeo mostra postagens de Carlos Bolsonaro na .38 em 7 de julho. Já Adelio, segundo o vídeo, em 3,4 e 5. Qual elemento exato comprova que ambos estiveram no mesmo dia, no clube?

15 – Se Adelio estava criminosamente ligado aos cérebros do suposto falso atentado, por que ele resolveu apagar ou alterar o seu Facebook somente quando Fabio Morato resolveu investigar? Por que o sr. acha que os próprios advogados de Bolsonaro requisitaram à PF investigação sobre suposta notícia de adulteração na página do Facebook de Adélio, levando a acreditar em uma possível tentativa de ocultação de provas por terceiros?​

16 – Se a suposta tramoia envolvia a participação de Adelio, o que, na avaliação do sr., dava tamanha segurança ao grupo criminoso de que nada seria descoberto nem ele revelaria nada a policiais federais que, lembre-se, trabalhavam sob um governo que, inclusive, tinha outro candidato na época (Henrique Meirelles)?

17 – Por que, na avaliação do sr., nesses três anos não houve nenhuma confissão por parte do suposto grupo criminoso, que deveria necessariamente contar com a equipe de aliados próxima do candidato, familiares, seguranças, agentes da polícia federal, seguranças eventuais, testemunhas próximas, policiais federais destacados para a investigação, integrantes do ministério público, médicos, enfermeiros e funcionários da Santa Casa de Juiz de Fora, do hospital Albert Einstein, ​entre várias outras pessoas?

18 – Ao questionar os valores encontrados na conta de Adelio, o sr. afima no vídeo que eles fazem parte do acerto trabalhista, mas questiona como Adelio vivia, se alimentava. A PF diz que ele fazia pequenos saques para suas despesas do dia a dia, “fruto do recebimento de gorjetas e diárias em trabalhos como garçom ou como auxiliar de pedreiro, entre outras atividades sem vínculo”. Por que o sr. omitiu essa parte?

19 – Tendo em vista a tese defendida de que Adelio faria parte do atentado fajuto, por que os organizadores do suposto plano, que seriam dotados de elevada competência tendo em vista não terem sido pegos até agora, depositariam dinheiro diretamente na conta de Adelio?

20 – Qual o documento oficial da Justiça Eleitoral o sr. obteve para afirmar ter havido filiação de Adelio Bispo ao PSD? Por que, no vídeo é omitida a informação constante no depoimento de Adelio no sentido de jamais ter existido tal filiação?:

“Esclareceu que esteve no diretório político do PSD na cidade de

Uberaba/MG, em 2016, buscando informações acerca da possibilidade de filiação,

tendo obtido da secretária que o atendeu um cartão do Deputado Federal MARCOS

MONTES, cartão este também encontrado em meio aos documentos apreendidos.

Contudo, não formalizou a filiação e, posteriormente, esteve no Tribunal Regional

Eleitoral – TRE – solicitando certidão de comprovação de não filiação a partido político,

ocasião em que teria deixado o requerimento de desfiliação assinado para eventual

desligamento do PSD, imaginando que pudesse ter tido sua inscrição ao partido

realizada sem sua autorização. A certidão, emitida na mesma data da comunicação de

desfiliação acima citada, também foi localizada entre os seus pertences”:

21 – Por que não é relatado no vídeo, quando o sr. trata do áudio “calma aí, calma aí cara”, que a pessoa que gravou e é a dona da voz prestou depoimento à PF e que diz que achava “que Adelio queria tão somente tocar nas mãos do candidato de uma forma atabalhoada​”. E que nada contra ela foi encontrado nas investigações?

Fonte brasil247
você pode gostar também