Em Taquaruçu, vereador Lúcio Campelo provoca Cinthia a abrir “caixa preta” de Amastha

Prefeita da Capital lembrou que “o para-brisa é bem maior que o retrovisor” e disse que prefere conduzir sua vida pública olhando para a frente

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


O vereador Lúcio Campelo (PR) aproveitou o tempo concedido a todos os vereadores presentes na manhã desta segunda-feira, 30, na assinatura de uma ordem de serviço em Taquaruçu, para provocar a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) a expor as condições em que encontrou a Prefeitura de Palmas em abril do ano passado, quando assumiu o mandato.

Campelo iniciou dizendo que tinha sua diferenças com a prefeita e que ia expô-las em público: “abra a Caixa Preta, prefeita Cinthia. Todos nós sabemos que a senhora pegou esta prefeitura quebrada, mas o povo também precisa saber”.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

O vereador, oposição ao ex-prefeito Carlos Amastha (PSB) desde a primeira gestão do socialista, disse que a prefeita “tem permanecido calada”, inclusive diante das críticas dos antes companheiros, que hoje se colocam como adversários dela.

Bom cabrito não berra, responde Cinthia

A prefeita, última a falar no pontapé dado hoje às obras de ampliação do Centro de Saúde de Taquaruçu, respondeu ao vereador. “Vocês sabem aquele ditado, que o bom cabrito não berra? Pois então, eu sou dessas”, argumentou.

Ela lembrou que “o para-brisa é bem maior que o retrovisor” e disse que prefere conduzir sua vida pública olhando para a frente.

Cinthia Ribeiro, no entanto, deixou claro que se for preciso defender os interesses de Palmas contra uma campanha antecipada, o fará. “Aí eu berro. Se for preciso”, resumiu.

Ela conclamou todos os vereadores presentes a trabalharem pela cidade e reforçou que “2019 é ano de gestão, 2020 é que é ano de eleição”.

A prefeita não deixou de lembrar que recebeu a Prefeitura em abril de 2018, com 72% do orçamento comprometido, e perguntou: “o que dava pra fazer o com o restante nos demais nove meses de gestão?”

Cinthia criticou os que “fazem vídeos” na porta das unidades de saúde hoje, criticando, mas não entram para ouvir os servidores da saúde e do município, que tiveram seus compromissos trabalhistas honrados.

Ela fez questão de deixar claro que haviam muitas pendências na Secretaria de Saúde a serem ajustadas, e que somente agora é possível planejar e executar novas ações.

Fonte t1noticias
você pode gostar também