Depoimentos do processo de cassação de Gabriel Monteiro começam nesta quarta (25)

Acusação terá 5 testemunhas e defesa contará com 8 depoentes; oitivas terminam no dia 9 de junho

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal do Rio de Janeiro marcou as datas para ouvir as testemunhas do processo de cassação de mandato do vereador Gabriel Monteiro (PL). Nesta quinta-feira (25), duas de acusação serão ouvidas pela manhã.

No dia 31, outras duas testemunhas de acusação irão prestar depoimentos. Já no dia 1º de junho acontece a oitiva de uma testemunha de defesa e outra de acusação. Para os dias 2 e 7 de junho, outras seis indicadas pela defesa do ex-policial militar prestarão depoimentos, sendo três em cada dia.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

Segundo o cronograma, são, ao todo, 13 depoimentos. A acusação terá 5 testemunhas e a defesa de Monteiro conta com 8 depoentes. Todo o processo de oitavas está marcado para terminar no dia 9 de junho.

O vereador terá três testemunhas a mais do que o previsto. Os representantes de Gabriel Monteiro fizeram a solicitação e os membros do Conselho acataram.

Os parlamentares da Comissão de Ética da Câmara do Rio de Janeiro irão pedir, novamente, à polícia o compartilhamento de provas da investigação de Monteiro. O inquérito é conduzido pelo Ministério Público e pela Polícia Civil.

Após as oitivas, o relator deve apresentar o parecer em até 5 dias úteis após a coleta de informações. Todo o processo de cassação do mandato pode durar até 90 dias.

Há quatro representações na Câmara contra Monteiro que podem configurar quebra de decoro. O parlamentar teria exposto crianças e pessoas em situação de vulnerabilidade em vídeos editados e gravados sob direcionamento. Outro ponto analisado pelo conselho é a investigação policial que envolve abuso sexual e moral contra ex-assessores. Além disso, foi incluído no processo o vídeo no qual o parlamentar supostamente acaricia uma menina de dez anos.

Réu por filmar relação com menores

Na semana passada, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) acatou a denúncia do Ministério Público estadual contra o vereador por filmar cenas de sexo com uma menor de idade.

Segundo a defesa de Gabriel Monteiro, “conforme depoimento da suposta vítima, na época, a adolescente dizia ao vereador que tinha 18 anos de idade”.

Fonte cnnbrasil
você pode gostar também