Coletivo SOMOS inicia campanha eleitoral e quer acabar com auxílio-moradia de deputados

Atualmente, 19 deputados estaduais recebem auxílio de R$ 4,2 mil por mês.

Tempo estimado para leitura: 3 minuto(s)


O Coletivo SOMOS iniciou nesta terça-feira (16) sua caminhada eleitoral com a primeira candidatura coletiva para deputado estadual e federal na história do Tocantins.

Além de pautas representativas e de fiscalização dos gastos públicos, um ponto ganhou destaque entre as propostas do grupo e envolve o que eles chamam de “regalias dos atuais deputados estaduais do Tocantins”.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

De acordo com Alexandre Peara, que é o porta-voz para deputado estadual, dos 24 parlamentares, 19 recebem auxílio-moradia de R$ 4,2 mil por mês. Ele destacou ainda que existem parlamentares que ganham o benefício, mas que também declararam ter residência em Palmas.

“Uma das nossas primeiras propostas será a de apresentar na Assembleia um Projeto de Resolução para acabar com esse absurdo do auxilio-moradia. Com mais de R$ 25 mil de salário um parlamentar não consegue alugar uma casa ou um apartamento? É inadmissível, mas não é só isso. Neste mesmo Projeto queremos amarrar a questão da destinação desse recurso, para que ele seja direcionado para a Escola do Legislativo. O objetivo é o de fortalecer cursinhos preparatórios para ENEM, Vestibulares, Concursos e quem sabe até mesmo para ofertar especializações na própria estrutura da Casa para servidores e população em geral. Esse é um dos nossos objetivos”, destacou Peara.

A administradora Thamires Lima, porta-voz do Coletivo para federal, reforçou que o compromisso do grupo é defender onde couber nos âmbitos legislativos, por uma fiscalização eficiente dos executivos; por políticas públicas de geração de emprego, de combate à fome e por comida no prato do povo; pela valorização dos direitos trabalhistas; por uma política de segurança alimentar; contra entreguismos e em defesa da soberania brasileira.

“SOMOS sempre a favor de ações para baixar o custo de vida das pessoas; pela volta de políticas habitacionais; em defesa do SUS; por políticas públicas culturais eficientes que fomentem o setor; por acessibilidade, inclusão e valorização dos direitos da pessoa com deficiência; atuamos na defesa e proteção dos direitos das mulheres, da negritude, dos LGBTQIA+ e também de pessoas em situação de vulnerabilidade”, completou.

Para a professora Natália Pimenta, candidata a co-deputada, mais do que nunca é preciso também defender a retomada de investimentos na educação. “Precisamos lutar pela autonomia da educação e dos profissionais no Tocantins, inicialmente por meio de concursos públicos. A escola é um local de aprendizado, mas também de socialização com a família. Precisamos e vamos defender políticas públicas que abarquem essas pessoas de alguma maneira, seja, por exemplo, modernizando ou fortalecendo o PNAE. Não podemos deixar de defender e garantir a retomada de investimentos nas nossas universidades, como também na ciência e pesquisa. Essas são pautas que não abrimos mão”, declarou.

O grupo começou seu trabalho político social em 2020 e disputou uma vaga na Câmara de Palmas. Pioneiros no Tocantins, a proposta serviu de inspiração para muitas candidaturas coletivas que também foram registradas no Estado em 2022.

Fonte afnoticias
você pode gostar também
×