Polícia Civil deflagra operação Caça às Bruxas e prende suspeito por tráfico de drogas

Tempo estimado para leitura: 3 minuto(s)


Policiais civis da Delegacia Especializada no Combate a Narcóticos (Denarc), comandados pelo delegado Emerson Francisco de Moura, efetuaram, na manhã desta quinta-feira, 15, em Palmas, a prisão de M.C.P., de 23 anos.

Ele é suspeito pela prática do crime de tráfico de drogas e foi capturado, mediante cumprimento a mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão, expedidos pela Justiça do Distrito Federal, quando se encontrava em sua residência, na região sul da Capital.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

De acordo com o delegado, a ação realizada pela Denarc faz parte da Operação Caça às Bruxas, e foi determinada pela Justiça do Distrito Federal.

A operação, que é coordenada pela 6ª Delegacia de Polícia Civil de Brasília, tem como objetivo principal combater o tráfico interestadual de drogas sintéticas, bem como desarticular um grupo criminoso, responsável por comercializar drogas sintéticas, que eram entregues, por meio dos Correios, e foi deflagrada, simultaneamente, nos estados do Tocantins, Goiás, São Paulo, Mato Grosso, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Norte, Bahia e Minas Gerais.

No momento do cumprimento do mandado de busca e apreensão, os policiais civis da Denarc localizaram e apreenderam, na residência do suspeito, porções de haxixe, cocaína, um veículo, além de balança de precisão. Desta maneira, o indivíduo também foi autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

O delegado Emerson Moura explicou a composição da droga encontrada em poder do suspeito. “O composto, cujo princípio ativo da droga apreendida é o THC [Tetra-Hidrocarbinol], é o mesmo encontrado na maconha, sendo que o haxixe recebe a adição de uma resina que é baseada em inflorescências que dão esse aspecto de borra escura, que é consumida de várias formas pelos mesmos usuários de maconha, que também são adeptos do haxixe, que, por sua vez, é muito mais forte devido à alta concentração de THC e produz sensações alucinógenas”, ressaltou.

O delegado titular da 6ª Delegacia de Polícia Civil do Paranoá (DF), Ullysses Fernandes Moraes Luz, explicou mais detalhes da operação Caça às Bruxas. “Os trabalhos dessa operação foram iniciados há cinco meses, quando os policiais da 6ª DP do Paranoá identificaram os fornecedores dos traficantes locais. Desta maneira, aprofundamos as investigações e, na manhã de hoje [quinta-feira,15], conseguimos prender, não só os traficantes locais, bem como aqueles que fornecem as drogas e possuem os laboratórios para sintetizar o entorpecente”, frisou.

O delegado também falou sobre a prisão do suspeito, a qual foi realizada pela Denarc, em Palmas. “O suspeito é oriundo do Distrito Federal e era alvo de investigação aqui em Brasília, mas fugiu para o Tocantins. No entanto, mesmo longe, o indivíduo ainda mantinha vínculos com traficantes de Brasília e continuava a mandar drogas sintéticas para a Capital Federal”, ressaltou.

O delegado Ullysses Fernandes também agradeceu pelo apoio e pela colaboração da Polícia Civil do Tocantins para o sucesso da operação Caça às Bruxas. “Contamos com apoio essencial da Polícia Civil do Tocantins, para que pudéssemos efetuar a prisão do suspeito e, desta maneira, neutralizar um elo importante, que agia no Estado do Tocantins”, contou. “É muito importante esse trabalho de integração e troca de informações entres as polícias. Só tenho agradecer pela colaboração especial da Polícia Civil do Tocantins e ressaltar que, com essa prisão, o envio de drogas sintéticas para Brasília será reduzido drasticamente”, pontuou Ullysses.

você pode gostar também
×