Justiça determina retomada de recuperação judicial da 123 milhas

Em setembro, TJ-MG havia suspendido processo a pedido do Banco do Brasil

Justiça de Minas Gerais autorizou, na sexta-feira (15), a retomada do processo de recuperação judicial da 123 milhas. A decisão, proferida pelo desembargador Alexandre Victor de Carvalho, relator do caso no TJ-MG, considerou que não havia urgência no pedido feito pelo Banco do Brasil, credor da empresa e que tinha conseguido a suspensão do processo em setembro deste ano.

À época, a instituição financeira apontou que os documentos apresentados pela 123 milhas não continham informações suficientes sobre a real situação econômica da empresa.

“Ainda que evidenciada a necessidade de realização da constatação prévia, a retomada do pedido recuperacional após o juízo positivo dos peritos não pode demorar, sob pena de frustração do próprio pedido recuperacional, notadamente diante do dinamismo que envolve as relações no mercado de turismo.”, escreveu o magistrado.

Como efeito prático, avalia o advogado Gabriel de Britto Silva, os consumidores deverão ficar atentos ao edital que listará todos os credores da companhia. “Em caso de erro no valor do crédito, deverão entrar em contato com o administrador judicial para que haja a devida retificação”, explica.

A 123 Milhas, a HotMilhas e a Novum Investimentos entraram com o pedido de recuperação judicial no final de agosto, apontando dívidas de R$ 2,3 bilhões.

 

No pedido feito em agosto, a defesa das companhias alegou que elas estão enfrentando a pior crise financeira de sua história. De acordo com balanços anexados ao processo, a 123 Milhas registrou prejuízo líquido de R$ 1,67 bilhão no primeiro semestre deste ano.

Banner825x120 Rodapé Matérias
Fonte infomoney
você pode gostar também
×