Ibovespa engata quarta alta consecutiva puxado por commodities; dólar recua novamente

Principal índice da bolsa brasileira conseguiu avançar mesmo com as bolsas americanas tendo, majoritariamente, tendência de queda

Tempo estimado para leitura: 3 minuto(s)


A bolsa brasileira começou a semana no terreno positivo e registrou a quarta alta seguida nesta segunda-feira (16), puxada pela valorização das commodities, enquanto os mercados americanos fecharam entre perdas e ganhos.

O avanço nos preços do minério de ferro vieram após a China anunciar estímulos ao setor imobiliário, reduzindo juros de hipotecas em meio aos dados bastante negativos de abril. Também anima a expectativa de retomada econômica, com a flexibilização de algumas restrições contra a Covid-19.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

Os preços do petróleo, por sua vez, avançaram após abrirem em queda, com os temores dos investidores de uma recessão global estimulada pelos dados da China e números econômicos fracos pelo mundo sendo compensados por sinais de que a União Europeia está se aproximando de uma proibição de importação de petróleo russo.

Para Felipe Moura, Analista de Investimentos da Finacap, o mercado também repercutiu a quinta baixa consecutiva da relação entre a dívida pública e produto interno bruto (PIB) do Brasil, que ficou em 78,5%. O especialista lembra que em 2020, auge da pandemia, a expectativa era que o indicador ultrapassasse a marca dos 100%, dessa forma, os dados ajudaram a reduzir temores em relação ao risco fiscal.

O Ibovespa subiu 1,22%, aos 108.232 pontos, após oscilar entre 106.851 e 108.794 pontos. O volume financeiro foi de R$ 28,8 bilhões.

As ações da Méliuz (CASH3) e SLC (SLCE3) foram os destaques positivos, subindo, respectivamente, 6,25% e 5,42%, seguidas pelas ações da Eztec (EZTC3), com ganhos de 5,22%. Os papéis da Méliuz se beneficiaram do cenário de queda de juros.

Dentre as principais altas por peso, os papéis ordinários e preferenciais da Petrobras (PETR3;PETR4) subiram, respectivamente 2,81% e 0,99%, acompanhando o avanço dos contratos do petróleo e as ações de empresas ligadas a mineração e siderurgia tiveram alta acompanhando a valorização dos preços nas negociações do minério de ferro.

As ações da Locaweb (LWSA3) e Embraer (EMBR3) foram os destaques negativos da sessão, recuando, respectivamente, 3,11% e 3,03%, seguidas das ações da Hapvida (HAPV3), com perdas de 2,24%.

Os papéis da Hapvida caem antes da divulgação do balanço nesta noite de segunda.

O dólar encerrou o terceiro pregão consecutivo no vermelho. A moeda americana recuou 0,12%, a R$ 5,051 após oscilar entre R$ 5,031 e R$ 5,104.

No aftermarket, às 17h07, os juros futuros recuam após comentários do diretor de Política Monetária do Banco Central, Bruno Serra, e da nova queda do dólar. Em evento organizado pelo Goldman Sachs, Serra disse que o BC prefere manter a Selic o mais estável possível.
O DIF23, -0,85 pp, a 13,36%; DIF25, -1,46 pp, a 12,44%; DIF27, -1,69 pp, a 12,18%; DIF29, -1,85 pp, a 12,23%.

Em Wall Street, as bolsas fecharam mistas, com o mercado lutando para se recuperar das perdas da semana passada e os investidores avaliando o potencial de uma recessão nos EUA.

O índice Dow Jones subiu 0,09%, aos 32.224 pontos. O S&P 500 recuou 0,39%, aos 4.008 pontos, enquanto o Nasdaq teve baixa de 1,20%, aos 11.662 pontos.

Fonte infomoney
você pode gostar também