Jovens americanos se divertem e aceleram propagação de covid-19

Menor faixa etária dos infectados - que tem mais propensão de ser assintomática e facilitar avanço do coronavírus -, tem dado trabalho para as autoridades

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Covid-19 é cada vez mais uma doença dos jovens. Nos Estados Unidos, a mensagem de ficar em casa por causa dos idosos se desgasta à medida que a pandemia avança.

A menor faixa etária dos infectados se torna um dos problemas mais prementes para autoridades locais, que na quarta-feira continuaram impondo toque de recolher e o fechamento de locais onde jovens se reúnem. Especialistas em saúde dos EUA dizem que os jovens têm mais propensão de serem ativos e assintomáticos, facilitando o avanço do coronavírus, que matou quase 130 mil pessoas no país.

No Arizona, metade de todos os casos positivos são de pessoas de 20 a 44 anos, de acordo com dados do estado. A idade média na Flórida é de 37 anos, abaixo dos 65 anos em março. No Condado de Hays, no Texas, jovens na faixa dos 20 anos representam 50% das vítimas.

No início da pandemia, os jovens foram instruídos a ficar em casa como um ato de altruísmo: faça isso por seu pai. Por sua avó. Por seu vizinho. Então, os estados começaram a reabrir e, quase instantaneamente, fotos começaram a circular em clubes e restaurantes lotados. Houve protestos em massa nas ruas pela violência policial e injustiça racial. A contagem de casos subiu para níveis recordes.

“Iniciamos a reabertura muito cedo”, disse Ian Grimes, de 27 anos, de Austin, sede da principal universidade do Texas, dezenas de empresas de tecnologia e uma cultura de festa. “Especialmente nós, de Austin, somos impacientes quando se trata de nos divertirmos.”

Grimes, que trabalha no setor imobiliário, senta-se do lado de fora quando toma uma cerveja e usa máscara. Mas sua consciência contrasta com outros jovens indisciplinados que fogem do confinamento.

“Há um desgaste total”, disse Sandy Cox, prefeita de Lakeway, nos arredores de Austin. Na semana passada, Cox postou uma live no Facebook alertando moradores de que estudantes do ensino médio haviam realizado uma “festa muito grande” nos arredores da cidade. Desde então, vários dos que participaram testaram positivos para a Covid-19, de acordo com o departamento de saúde pública de Austin.

“Você é jovem, invencível, não acha que isso vai acontecer com você e, se acontecer, acha que vai ficar bem”, disse Cox em entrevista. “A mensagem é cuidar do próximo, mas é difícil chegar às pessoas.”

(Com a colaboração de Joe Carroll, Michelle Cortez, Jonathan Levin, Aysha Diallo, Renata S. Geraldo, Drew Hutchinson e Catherine Leffert).

Fonte exame
você pode gostar também