Controlada pelos republicanos, Câmara dos EUA autoriza inquérito de impeachment de Joe Biden

A Câmara aprovou por votação por 221 a 212, em linha com a composição das bancadas, para aprovar a investigação

WASHINGTON, 13 Dez (Reuters) – A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos votou nesta quarta-feira para formalmente autorizar sua atual investigação de impeachment contra o presidente norte-americano, Joe Biden, com a maioria republicana unida em torno do esforço, embora ainda não tenha encontrado provas de irregularidades por parte do democrata.

A Câmara controlada pelos republicanos votou por 221 a 212, em linha com a composição das bancadas, para aprovar a investigação, que está examinando se Biden se beneficiou indevidamente dos negócios estrangeiros de seu filho Hunter Biden, de 53 anos, horas após Hunter Biden recusar uma intimação para depor a portas fechadas.

A Casa Branca classificou a investigação como infundada e politicamente motivada. Biden está se preparando para uma possível revanche eleitoral em 2024 com seu antecessor republicano, Donald Trump, que é o primeiro presidente na história dos EUA a sofrer impeachment duas vezes na Câmara e está atualmente se preparando para quatro julgamentos criminais. Trump foi absolvido as duas vezes pelo Senado.

A medida, no entanto, não deve conseguir remover Biden do cargo. Mesmo que a Câmara vote pelo impeachment do presidente, o Senado teria que votar para condená-lo pelas acusações por uma maioria de dois terços — algo quase impossível em uma Casa onde os pares democratas de Biden têm uma maioria de 51 a 49.

No entanto, isso pode ajudar os republicanos a destacar suas alegações de corrupção ao longo da campanha de 2024. A votação ocorre três meses após os republicanos iniciarem informalmente a investigação, não sendo um passo necessário para remover um presidente ou outra autoridade do cargo.

Mas a autorização poderia dar aos republicanos mais autoridade legal para forçar a administração de Biden a cooperar e poderia ajudar a combater as acusações dos democratas que dizem que lhe falta legitimidade.

Trump, o favorito para a indicação presidencial republicana, sofreu impeachment duas vezes pela Câmara durante seu mandato: em 2020, por tentar pressionar a Ucrânia a anunciar uma investigação de corrupção sobre Biden, e em 2021, por tentar reverter sua derrota eleitoral. Ambas as tentativas fracassaram no Senado.

Banner825x120 Rodapé Matérias
Fonte infomoney
você pode gostar também
×