Confrontos entre civis e militares deixam ao menos 25 mortos no Sudão do Sul

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Vinte e cinco pessoas, entre elas 18 soldados, morreram neste fim de semana no Sudão do Sul em enfrentamentos entre moradores e militares que compareceram ao local para levar gado que consideravam roubado, informou nesta segunda-feira (27) um dirigente do estado de Warrap (norte).

-- Publicidade --

-- Publicidade --

Os enfrentamentos começaram no sábado e se prolongaram até o domingo pela tarde, no vilarejo de Wal Bet, no condado de Tonj Norte.

Quando os soldados chegaram para levar o gado, “os civis pegaram armas e começaram a enfrentar os militares”, declarou à AFP o ministro de Informação do Estado de Warrap, Ring Deng.

Deng comunicou um balanço de “18 soldados e sete civis” mortos, e destacou que muitos militares continuam desaparecidos.

O responsável condenou esses atos e pediu à população local que “não considere o governo como um inimigo”.

Um dos deputados do condado de Tonj Norte, Mawien Dhor Ariik, opinou que a situação “é resultado de uma ausência de poder” depois que o governo suspendeu, em meados de junho, sua representante no estado por causa de uma piora da segurança na região.

O estado de Warrap, e sobretudo o condado de Tonj Norte, foi palco de enfrentamentos violentos nos últimos anos entre as forças governamentais e jovens civis armados.

Em agosto de 2020, ao menos 127 pessoas morreram em choques entre soldados e jovens Gelweng (uma comunidade local), que se negam a entregar suas armas.

O Sudão do Sul está afundado na instabilidade política, econômica e de segurança desde que obteve a independência do Sudão em 2011.

Fonte istoe
você pode gostar também