Carreata na Cidade do México pede renúncia do presidente

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Centenas de carros percorreram neste domingo (28) a Cidade do México para exigir a renúncia do presidente Andrés Manuel López Obrador, atendendo a uma nova convocação de grupos opositores que rejeitam suas políticas e a gestão da pandemia do novo coronavírus.

Pelo menos 300 veículos e cerca de 30 motos e bicicletas aderiram à barulhenta carreata, que percorreu a Avenida Reforma, em uma convocação da Frente Nacional AntiAMLO (Frena) e outros grupos de oposição, que pela terceira semana consecutiva demonstraram sua inconformidade com as políticas governamentais do presidente de esquerda, no cargo desde dezembro de 2018.

“Queremos que (López Obrador) renuncie porque destruiu o país, um dos mais ricos do mundo! Não há mais tempo”, disse à AFP Guillermo García, um trabalhador de 59 anos que participou do protesto.

“Se quer uma Venezuela, melhor que vá para Cuba. Se querem um país socialista, que vão para um país socialista”, acrescentou o homem, visivelmente irritado.

A carreata buscou expressar repúdio a AMLO – acrônimo com que é chamado o presidente mexicano -, a quem acusam de pôr “em risco a soberania, a integridade e a independência” do país durante a emergência sanitária.

Os organizadores disseram que o protesto itinerante também foi convocado em cidades como Puebla, Cuernavaca, Querétaro, Acapulco, Monterrey, Guadalajara, Chihuahua, Cancún e Mérida, entre outras.

Na Cidade do México, a caravana partiu às 11h locais (13h de Brasília) do emblemático Anjo da Independência, e avançou por todo o Passeio da Reforma, no centro, até chegar ao Palácio de Belas-artes, espaço cultural mais importante do país.

O comboio avançou ao som de buzinas e salpicado por bandeiras mexicanas e cartazes que diziam “Fora, AMLO”, “AMLO, Vá Embora Já” e “#AMLOvaiembora”.

“Nunca tivemos um presidente tão ignorante e corrupto como este, que só vê sua carreira política”, disse Dolores Alcántara, uma aposentada de 62 anos.

O protesto foi celebrado um dia antes da reabertura parcial de restaurantes, hotéis, shopping centers e espaços esportivos ao ar livre na Cidade do México, depois que as autoridades reduziram o nível de alerta na vigilância epidemiológica por causa da pandemia.

O México, com 127 milhões de habitantes, registrou até o sábado 212.802 casos positivos de coronavírus e 26.381 mortes, segundo o balanço oficial.

Fonte yahoo
você pode gostar também