Stablecoin Tether (USDT) promete divulgação mensal de reservas em meio a críticas por falta de transparência

Empresa trocou escritório de contabilidade responsável por atestar lastro da criptomoeda pareada ao dólar

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


A Tether, emissora da stablecoin USDT, divulgou nesta quinta-feira (18) que contratou a empresa de contabilidade BDO Italia para produzir seus relatórios regulares de reserva. Até então, esses documentos eram fornecidos pela Moore Cayman, que agora opera sob o nome de MHA Cayman.

A publicação dos documentos, segundo a firma, deve ocorrer todos os meses, e não apenas uma vez por trimestre, como acontecia até então.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

As stablecoins são moedas digitais vinculadas a ativos estáveis, como dólar ou euro. Por isso, os emissores costumam publicar atestados e relatórios de garantia para mostrar ao mercado que suas criptomoedas são apoiadas.

A Tether, por exemplo, garante que têm ativos que sustentam os US$ 67 bilhões em USDT em circulação no mercado.

A empresa, no entanto, nem sempre foi transparente com suas reservas. A companhia só começou a publicar relatórios de garantias da stablecoin após um acordo firmado no ano passado com a Procuradoria-Geral de Nova York. O órgão alegava que a USDT, por um tempo, não tinha lastro integral em reservas depositadas em banco.

“A decisão de trabalhar com a organização BDO representa a promessa [da Tether] de fornecer transparência considerável para aqueles que possuem USDT, fornecendo atualizações sobre tokens e reservas emitidos diariamente”, disse a empresa em um comunicado à imprensa. A BDO Italia é membro da rede global de firmas de contabilidade e consultoria Binder Dijker Otte.

A medida, de acordo com o release, é “o próximo passo” para a emissão de uma auditoria, algo que os executivos da Tether prometem há meses.

“A utilidade do USDT cresceu, e o criptoativo não é mais apenas uma ferramenta para entrar e sair rapidamente de posições de trading. Portanto, é essencial para nós escalarmos junto com os mercados peer-to-peer (ponto a ponto) e de pagamentos”, disse o diretor técnico Paolo Ardoino no comunicado.

você pode gostar também
×