Minissérie relembra trajetória política de Juscelino Kubitschek

Os episódios de "JK, O Reinventor do Brasil" vão ao ar semanalmente, sempre aos sábados, às 22h30, na TV Cultura

Estreou no último sábado (25), na TV Cultura, a série documental inédita JK, O Reinventor do Brasil. A vida do ex-presidente da República, que morreu num misterioso acidente automobilístico em 1976, é revisitada em quatro episódios da produção, dirigida por Jarbas Agnelli e escrita por Fernando Rodrigues.

Juscelino Kubitschek é considerado um dos principais nomes da história brasileira. Sob o lema “50 Anos em cinco”, ele instalou a indústria automobilística no Brasil e construiu uma nova capital para o país, Brasília.

Segundo Fábio Chateaubriand Borba, a produção tem um formato que chama a atenção.

Apostamos numa linguagem pop, com narração em estilo de podcast, com o intuito de chamar a atenção dos mais jovens, que ainda não conhecem o Juscelino.

Fábio Chateaubriand Borba, idealizador da série

A série faz parte de um grande projeto da TV Cultura, que ainda inclui exposições em várias capitais e o lançamento de uma fotobiografia sobre o presidente Juscelino Kubitschek, que governou o país entre 1956 e 1961. As informações são da Folha de São Paulo.

Imagem: divulgação/TV Cultura

Vida de JK contada em quatro episódios

  • O primeiro episódio lembra a infância de Juscelino em Diamantina, a formação em Medicina em Belo Horizonte e os primeiros passos na carreira política.
  • Mostra ainda sua atuação na Revolução Constitucionalista de 1932, sua nomeação como prefeito da capital mineira, sua vitória na disputa eleitoral pelo governo de Minas Gerais e as articulações na corrida pela Presidência da República.
  • A segunda parte da série apresenta a chegada de JK à Presidência da República e a chamada Revolta de Jacareacanga, movimento de oficiais da Aeronáutica no sul do Pará para impedir que o político mineiro assumisse o poder.
  • A construção de Brasília domina o terceiro episódio, que aborda também a ebulição cultural e esportiva do país naquele momento, com a bossa nova, o cinema novo e a conquista da Copa do Mundo de 1958.
  • Já no quarto e último episódio, o golpe militar de 1964 o obriga a partir para o exílio, período em que passou por cidades da Europa e dos EUA.
  • Três anos depois, voltou ao Brasil e se uniu a Carlos Lacerda (antes um adversário político) e a João Goulart para montar uma Frente Ampla em oposição ao regime.
  • Os episódios de JK, O Reinventor do Brasil vão ao ar semanalmente, sempre aos sábados, às 22h30, na TV Cultura.
Banner825x120 Rodapé Matérias
Fonte olhardigital
você pode gostar também
×