Bolsonaro afirma que quer convidar Doria para sobrevoar o Vale do Ribeira

Presidente disse que pode adiar ida à região se o governador ampliar restrições e colocar o local na área vermelha do Plano São Paulo

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 30, que pode adiar a dia ao Vale do Ribeira (SP), na próxima semana, se o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) ampliar as restrições na região por causa da Covid-19. Bolsonaro, no entanto, afirmou que quer convidar Doria a ir com ele, de helicóptero, ao local. “Pela segunda vez, o senhor governador de São Paulo, sua excelência, João Doria, nada a ver com a minha ida lá, mas iria baixar um decreto transformando por um tempo, não sei quanto, em área vermelha o Vale do Ribeira. Se isso acontecer, vou ser obrigado, mais uma vez, a adiar minha ida ao Vale do Ribeira”, afirmou.

Bolsonaro disse que Doria pode ir com ele à região e que até daria a palavra a ele. “Está convidado, não tem problema político comigo. Pode falar”, disse. O presidente declarou também que todo político está sujeito a vaias. “Quem não quer perceber isso, que não se candidate e fique em casa.” Nesta quarta-feira, 30, a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, Patricia Ellen, afirmou o Vale do Ribeira é a região que inspira maior cuidado no momento pelo avanço do novo coronavírus no Estado. Ellen afirmou que o governo de São Paulo analisa fazer “uma classificação extraordinária para a região”.

Desde o início da crise, governador e presidente trocaram diversas farpas sobre a condução da pandemia. Doria vinha cobrando que o presidente agisse seguindo recomendações dos cientistas para o controle da pandemia, e Bolsonaro vinha criticando o isolamento social defendido pelo governador paulista. Ainda em março, eles tiveram uma discussão pública, via teleconferência, quando houve uma reunião para discutir a pandemia. Entretanto, recentemente, o governador publicou uma mensagem no Twitter em que desejava “pronta recuperação” ao presidente e pedia “que ele seguisse as orientações da medicina”.

* Com informações do Estadão Conteúdo

Fonte jovempan
você pode gostar também