Autoridades e instituições lamentam a morte do jornalista Luiz Fernando Rocha Lima, em Goiânia

Nomes como Ronaldo Caiado, Rogério Cruz e Marconi Perillo fizeram publicações. Luiz tinha 75 anos e foi diretor-geral do Grupo Jaime Câmara.

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Autoridades e instituições publicaram mensagens lamentando a morte do jornalista Luiz Fernando Rocha Lima, nesta quarta-feira (7). Luiz tinha 75 anos, era formado em direito pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e tinha especialização em Ciência Política. Ele foi diretor-geral do Grupo Jaime Câmara.

Entre os que prestaram homenagens estão o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (UB), o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), o ex-governador Marconi Perillo e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Goiás (Fecomércio).

-- Publicidade --

-- Publicidade --

“Uma pessoa que deixa um legado exemplar de dedicação e profissionalismo com o jornalismo de qualidade”, escreveu Marconi Perillo.

Autoridades e instituições lamentam a morte de Luiz Fernando Rocha Lima — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Há 5 anos, Nando, como era conhecido, foi diagnosticado com leucemia e, no início deste ano, com câncer no cérebro. Ele fazia tratamento contra a doença. Ele deixa três filhas, três netos e a esposa, Regina Arantes Rocha Lima.

Carreira

Jornalista Luiz Fernando Rocha Lima durante o tabalho — Foto: Lailson Duarte

Nando foi secretário de Governo do ex-governador Leonino de Ramos Caiado, entre os anos de 1971 e 1975 . Nessa época, foi um dos responsáveis pela construção do Autódromo Internacional e, como entusiasta do esporte, foi presidente da Federação Goiana de Automobilismo.

Luiz Fernando entrou no Grupo Jaime Câmara na década de 1980, logo depois de deixar a assessoria do deputado federal Jaime Câmara, em 1986. Ele assumiu vários cargos no grupo e chegou a diretor-geral.

Na passagem por Tocantins, em 1988, foi diretor-geral da empresa, onde ajudou na estruturação do grupo no novo estado, que além das três emissoras da TV Anhanguera, tinha ainda a impressão do Jornal do Tocantins e as rádios de Araguaína, Gurupi e Porto Nacional.

Dez anos depois, em 1998, Luiz Fernando foi transferido para Brasília, onde foi diretor do Jornal de Brasília até os anos 2000.

Em seguida, voltou para Goiânia para assumir a diretoria de jornalismo do Grupo Jaime Câmara. No cargo, aprimorou o padrão do jornalismo na TV Anhanguera, Jornal O Popular, Rádio CBN e os portais de internet da empresa. O afastamento da empresa se deu em 2016.

Luiz Fernando também atuou fortemente na política de responsabilidade social do maior complexo de comunicação do Centro-Norte, nos estados de Goiás e Tocantins, além do Distrito federal. O jornalista sempre dizia que o meio de comunicação e a sociedade não conseguem viver separadamente.

Fonte globo
você pode gostar também
×