Wanderlei Barbosa destaca necessidade de financiamento internacional para a preservação ambiental no Tocantins

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Em painel da Conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre as Mudanças Climáticas – COP-27, no Egito, desta segunda-feira, 14, o governador Wanderlei Barbosa falou sobre a necessidade do financiamento internacional em projetos ambientais. “O Tocantins quer ser referência em políticas sustentáveis e para isso ocorrer, precisamos de parcerias”, destacou. Além dele, estavam presentes no debate alguns governadores que são membros do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal.

“Precisa haver interesse das entidades mundiais. Já temos projetos em andamento, com grupos querendo comercializar crédito de carbono tocantinense, mas precisamos evoluir mais. Essa preocupação precisa ser de todos. Se não queremos que a temperatura do planeta aumente, temos que ter a preocupação em ajudar os estados brasileiros”, discursou Wanderlei para os governadores e outros representantes internacionais.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

O Governador também citou que o Estado do Tocantins é campeão em preservação ambiental, onde possui nove Áreas de Proteção Ambiental (APAs) e três parques estaduais. “Propuseram diminuir essas áreas para aumentar o setor produtivo, mas o Governo tem sido resistente. O Governo do Tocantins tem tido o cuidado com o meio ambiente. Essa parceria com entidades mundiais é para ajudar preservar”, ressaltou.

Wanderlei Barbosa mencionou, ainda, o cuidado do Governo do Tocantins com as reservas indígenas e sua população, além do projeto Foco no Fogo, que tem o objetivo de conscientizar a população sobre os riscos e prejuízos causados pelas queimadas irregulares. “Temos dois períodos bem distintos no Tocantins: chuva e seca. E durante a seca, que dura entre agosto e outubro, temos que controlar as queimadas”, explicou.

Palestra sobre Financiamento Climático

O tema Financiamento Climático: o papel da cooperação internacional para o desenvolvimento de baixas emissões na Amazônia foi discutido pelos governadores Gladson Cameli (AC), Mauro Mendes (MT), Helder Barbalho (PA); Wanderlei Barbosa (TO) e Marcos Rocha (RO), que fazem parte do Consórcio Interestadual Amazônia Legal, e representantes da Noruega, Reino Unido, Alemanha, entre outros países.

Também participaram do evento a secretária de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Miyuki Hyashida; a superintendente de Gestão e Políticas Públicas Ambientais, Marli dos Santos; a secretária-executiva da Secretari de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídrico, Karynne Sotero Campos; o secretário de Estado da Governadoria, Jairo Mariano; pelo secretário de Estado de Parcerias e Investimentos, José Humberto Pereira Muniz Filho; o presidente da Tocantins Parcerias, Aleandro Lacerda.

Fonte conexaoto
você pode gostar também
×