Deputado denuncia aumento de quase R$ 10 milhões em contratos do Estado e governador reage às críticas

Tempo estimado para leitura: 3 minuto(s)


O deputado federal Vicentinho Júnior (PL) e o governador Mauro Carlesse (DEM) protagonizaram um novo episódio de disputa política no fim desta semana. O ponto de partida desta vez foram dois termos aditivos da Secretaria de Cidadania e Justiça (Seciju) publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) com aumento de quase 35% em contratos de alimentação no sistema penitenciário do Tocantins.

A briga começou nas redes sociais, quando Vicentinho postou vídeos criticando os aditivos, motivando uma extensa nota de resposta do Palácio Araguaia em seguida.

O parlamentar, opositor ferrenho do governador, disse que tenta acreditar na boa fé de Mauro Carlesse. “Quando ele fala que falta recursos junto ao seu secretariado para fazer alguns investimentos, como por exemplo, pagar em dia servidores da saúde, que estão na linha de frente, comprar vacinação para os servidores que estão na frente do combate à covid-19 (…), quando fala que falta recursos para aquisição de novos leitos de UTI, aquisição das vacinas, compra de EPIs, compra de testes em massa, eu quase acredito…” disse o parlamentar.

O deputado afirma ainda que a inflação do último período foi de 4,52%, o que para ele não justificaria o aumento de quase R$ 10 milhões nos dois contratos para fornecimento de marmitas para os presídios. “Isso aqui tem cheiro de coisa errada, tem cara de coisa errada. Não justifica aumentar 35% em dois contratos que impactam em quase R$ 10 milhões”, denunciou Vicentinho.

Em nota, o Palácio Araguaia respondeu ao parlamentar e afirmou que Vicentinho Júnior “falta com a verdade” ao atribuir a Carlesse “afirmações nunca ditas pelo Chefe do Poder Executivo Estadual”. De acordo com a nota, o governador nunca teria dito que faltam recursos para abertura de leitos de UTI, compra de vacinas e outras alegações feitas pelo deputado.

A assessoria de imprensa de Carlesse destaca o reenquadramento do estado na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), implantação de mais de 400 leitos de UTI para pacientes de covid-19, compra de EPIs e insumos com antecedência e o pagamento dos servidores em dia, no primeiro dia útil do mês, ou adiantado. “O referido parlamentar não encontrará nem na imprensa ou em qualquer pronunciamento do governador Mauro Carlesse, afirmações como as ditas pelo parlamentar e atribuídas ao Governador, tratando-se, portanto, de novas afirmações inverídicas do deputado Vicentinho Júnior”, disparou Carlesse.

A respeito do aumento nos contratos de alimentação, o governador afirmou que foram feitos “obedecendo todas as normas legais e estão à disposição dos órgãos de controle para a devida fiscalização”. Disse ainda que a justificativa para os quase R$ 10 milhões nos aditivos seria porque os itens da alimentação tiveram aumento acima da inflação no último período.

Ao final do texto, em tom ainda mais duro, Carlesse criticou a atuação de Vicentinho como parlamentar. “A atuação do deputado Vicentinho Júnior em Brasília, seria muito mais produtiva se o mesmo destinasse recursos para a Saúde do Estado investir na melhoria da qualidade do atendimento para a população, ao invés de atuar somente em redes sociais, disseminando informações falsas e se promovendo em cima da fragilidade das pessoas por conta da pandemia”.

 

Fonte conexaoto
você pode gostar também