Indy: O’Ward supera Newgarden, vence no Texas e quebra jejum da McLaren

Tempo estimado para leitura: 5 minuto(s)


Pato O’Ward venceu neste domingo (2) a segunda corrida da rodada dupla do Texas da Indy, disputada no Texas Motor Speedway. O mexicano se manteve entre os líderes ao longo das 248 voltas da corrida, tomando a liderança de forma definitiva quando restavam 24 giros para o final, ao ultrapassar Josef Newgarden.

O resultado representa a primeira vitória do dono do McLaren número 5 na categoria americana. Mais do que isso, O’Ward quebrou um jejum de 17 anos sem vitórias mexicanas na Indy, e ainda deu ao time inglês seu primeiro triunfo no campeonato de monopostos mais importante dos Estados Unidos desde a vitória de Johnny Rutherford em 1979, em Atlanta.

A segunda colocação ficou com Newgarden, piloto da Penske que terminou 1s2443 atrás do vencedor. Graham Rahal, da RLL, cruzou a linha de chegada na terceira colocação, depois de se mostrar bastante agressivo durante a corrida. O grupo dos cinco primeiros foi completado por Scott Dixon, da Chip Ganassi, e Colton Herta, da Andretti Autosport.

A corrida foi marcada por um forte acidente envolvendo sete pilotos, que culminou no capotamento de Conor Daly. Pietro Fittipaldi tocou o carro de Sébastien Bourdais, que rodou, provocando a bandeira amarela e batidas de Alexander Rossi, Dalton Kellett, James Hinchcliffe, Ed Jones e Tony Kanaan. Daly tentou escapar, mas decolou e capotou após passar sobre os carros de Kellett e Rossi. Todos estão bem. Kanaan seguiu na prova e terminou em 15º.

A próxima etapa da Indy está marcada para o dia 15 de maio, com a realização do Grande Prêmio de Indianápolis, que será disputada no circuito misto do Indianápolis Motor Speedway.

Confira como foi a corrida

A corrida começou com um forte acidente. Pietro Fittipaldi tocou o carro de Sébastien Bourdais, que rodou, provocando um acidente múltiplo. Quem se deu pior foi Conor Daly, americano da Carlin que não conseguiu desviar de Dalton Kellett e Alexander Rossi, capotando. Ed Jones e Tony Kanaan também se envolveram no acidente.

Apesar do acidente, a direção de prova manteve a corrida sob bandeira amarela, com os carros passando pelo pit lane. Kanaan, com danos na asa dianteira e na suspensão, perdeu três voltas em relação aos líderes. Dixon seguia na liderança da prova, após largar da pole position, sendo seguido por Palou e Power.

A relargada veio na volta 20, com a dupla da Ganassi mantendo as duas primeiras colocações, enquanto Jack Harvey superou Pato O’Ward e Will Power para avançar ao terceiro lugar. Kanaan, com voltas de atraso, se manteve na 17ª colocação após o reinício da corrida.

As posições na frente se mantiveram inalteradas nas voltas seguintes, com O’Ward tentando um ataque sobre Power a partir da volta. O piloto da McLaren, na volta 56, chegou a colocar o carro lado a lado, mas não conseguiu completar a ultrapassagem sobre o australiano da Penske.

A janela de paradas começou na volta 68, com Colton Herta. Entre os líderes, Dixon e O’Ward fizeram os pits stops na volta 72, Harvey e Power pararam na volta seguinte, enquanto Palou trocou pneus e reabasteceu no giro 74. Ed Carpenter parou na volta 76, enquanto Rinus VeeKay fechou a janela de parada na volta 80.

Após as paradas, Newgarden avançou para a terceira posição ao superar Harvey. Dixon mantinha a liderança com uma vantagem de quatro décimos para Palou. Já o americano da Penske não conseguia acompanhar o ritmo dos dois pilotos da Ganassi. O’Ward, na quinta posição, tentava se aproximar de Harvey. James Hinchcliffe, outro envolvido no acidente da largada, retornou à pista.

Na volta 115, O’Ward superou Harvey, que teve problemas logo na sequência, visitando os boxes. Por conta de óleo e detritos na pista, a direção de prova acionou a bandeira amarela pela segunda vez. Os pilotos foram aos boxes para a segunda rodada de troca de pneus e reabastecimento, e Dixon seguiu na ponta, seguido por Power e Graham Rahal.

A relargada veio na volta 128, com O’Ward superando Newgarden e Rahal para tomar a terceira posição. Três giros depois, o mexicano passou por Power, tomando o segundo lugar. A partir daí, porém, o que se viu foi um show de Rahal, que avançou para o segundo posto ao passar Power e o piloto da McLaren, e tomou a liderança na volta 140, superar Dixon.

12 voltas depois, Dixon passou a atacar Rahal, recuperando a liderança na volta 153. Na volta 168, Ryan Hunter-Reay e Takuma Sato foram para os boxes, abrindo uma nova janela de paradas. Marcus Ericsson parou duas voltas depois. Dixon seguia na liderança da corrida, sempre seguido de perto por Rahal, O’Ward e Power.

Scott McLaughlin foi aos boxes na volta 184, enquanto Pagenaud trocou pneus e reabasteceu no giro seguinte. Entre os líderes, Dixon e Rahal pararam na volta 187, O’Ward, na 188, e Power, na 189, mesmo momento em que o americano da RLL superou o neozelandês da Ganassi, ganhando a oitava posição. Newgarden parou no giro 190.

A bandeira amarela foi acionada pela terceira vez após uma das rodas do carro de Felix Rosenqvist se soltar. A prova passou a ter a liderança de Sato, seguido por Hunter-Reay e Ericsson. Os dois últimos, porém, foram aos boxes na volta 195, fazendo com que Newgarden avançasse para o segundo lugar, logo à frente de O’Ward, Rahal e Dixon.

A relargada veio na volta 198, com Sato seguindo na ponta. Power escapou e raspou o muro, sem deixar a disputa. No 202º giro, Newgarden passou pelo japonês da RLL, tomando a liderança. O vencedor das 500 Milhas de Indianápolis foi superado também por O’Ward, caindo para a terceira colocação.

Restando 37 voltas para o final, Colton Herta superou Simon Pagenaud, tomando a quinta colocação. Newgarden passou a ser pressionado por O’Ward, que trazia consigo Rahal. Dixon vinha um pouco mais atrás, na quarta posição. O mexicano foi para o ataque restando 24 voltas para o final, superando o americano da Penske para tomar a liderança.

O’Ward disparou nove décimos para Newgarden logo após fazer a ultrapassagem. Rahal e Dixon ficaram para trás, mas se mantinham em terceiro e quarto, respectivamente. O mexicano seguiu em ritmo forte, e correu para vencer pela primeira vez na carreira.

Fonte f1mania
você pode gostar também