CBF inaugura estátua em homenagem a Zagallo no Rio de Janeiro

Obra levou cerca de dois anos para ficar pronta e envolveu 26 artesãos; evento teve presença do técnico Tite

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


O Museu Seleção Brasileira, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, inaugurou nesta quinta-feira (20) uma estátua de cera em homenagem a Zagallo. O evento contou com a presença do ex-jogador e treinador, hoje com 91 anos.

Inspirada na sua última passagem como técnico da Seleção Brasileira, a obra levou cerca de dois anos para ficar pronta e envolveu 26 artesãos. Pesando 30 kg, foi confeccionada pelo mesmo ateliê responsável pelas estátuas de Marta e Pelé, também expostas no museu. Para a produção, foram mais de 300 medições feitas na casa de Zagallo, e quase 500 fotos.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

“Jamais vou esquecer na minha vida as conquistas. Eu não pensei que viria aqui na CBF um dia com essa representação. É impressionante! Eu jamais pensei em poder bater um papo com o Zagallo”, disse o ex-treinador.

Amigos e admiradores

Carlos Alberto Parreira e Américo Faria, dois companheiros de Zagallo nos tempos de seleção, marcaram presença na homenagem.

Representando a comissão técnica atual, estava também o técnico Tite: “Exemplo, inspiração, humanismo. Tu não sabes o quanto representa para o futebol brasileiro. Muito obrigado”, destacou Tite.

Segundo a CBF, a história de Mário Jorge Lobo Zagallo confunde-se com a da seleção. “Ninguém foi mais vencedor representando a Amarelinha, seja como jogador, técnico ou coordenador técnico.

Toda essa trajetória de identificação consolidada no coração do torcedor brasileiro ficará eternizada no Museu Seleção Brasileira”, ressalta a nota da confederação.

Museu da Seleção Brasileira inaugura estátua de cera em homenagem a Mário Jorge Lobo Zagallo na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro / Tomaz Silva/Agência Brasil

Zagallo é bicampeão do mundo como jogador, tendo conquistado o torneio mais importante do futebol mundial outras duas vezes — uma como técnico e outra como coordenador. Ele ainda comandou a seleção nas Copas do Mundo de 1998 (vice-campeã) e de 1974 (quarta colocada), além de somar a coordenação técnica na Copa do Mundo de 2006.

Alagoano nascido em Maceió, disputou 36 jogos pela Seleção Brasileira: 29 vitórias, quatro empates e três derrotas. Ele estreou e se despediu da seleção no Maracanã.

O primeiro jogo foi no dia 4 de maio de 1958, no qual marcou duas vezes na goleada de 5 a 1 sobre o Paraguai. A última partida foi no dia 7 de junho de 1964, na vitória de 4 a 1 sobre Portugal, em jogo válido pela Taça das Nações, competição que reuniu Brasil, Argentina, Inglaterra e Portugal.

Fonte cnnbrasil
você pode gostar também
×