Após polêmica na Copa, Uruguai elabora plano para não sofrer grave punição

Tempo estimado para leitura: 1 minuto(s)


*Por Lauren Berger

-- Publicidade --

-- Publicidade --

No duelo contra a Gana, a Seleção do Uruguai botou para fora toda a raiva que estavam sentindo com a atuação dos árbitros nas três partidas que disputaram na Copa do Mundo. Com isso, o jogo terminou com uma forte polêmica, que agora tenta ser revertida.

Com o apito final da partida contra Gana, onde um pênalti em cima de Edinson Cavani não foi marcado, os jogadores do Uruguai foram para cima dos árbitros. Alguns golpes e vários xingamentos foram proferidos, algo que é seriamente penalizada pela Fifa, entidade que regula o futebol.

Evitando a punição da entidade, o Uruguai já traçou uma estratégia, a fim de proteger Josema Giménez , Diego Godín, Edinson Cavani e Fernando Muslera. Para isso, a Federação contratou o advogado de sucesso que protegeu Lionel Messi em 2017, quando o argentino agrediu verbalmente um bandeirinha após a vitória por 1 a 1 sobre o Chile. Na ocasião, ele reduziu uma multa de três rodadas para zero.

Ariel Reck representará os jogos, evitando que todos percam o início das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2026. Vale destacar que, segundo o estatuto da Fifa, a punição pode ser de uma a 15 partidas oficiais de suspensão.

Fonte futebolatino
você pode gostar também
×