Thais Fersoza fala sobre criação dos filhos: “Medo de deixar eles irem para o mundo”

Em entrevista a Karina Bacchi, atriz diz que não quer que Melinda e Theodoro se sintam “criados em uma bolha”

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Mãe de duas crianças pequenas, Melinda, de 2 anos, e Teodoro, de 1, Thais Fersoza contou a Karina Bacchi, que como muitos pais sofre quando pensa como proteger os filhos. “Penso nisso diariamente. É difícil por tudo que a gente vê, nas ruas, dentro das escolas, da igreja. É, é tão triste e  difícil, a fente fica com tanto  medo de deixar eles irem para o mundo”, confessou a atriz em entrevista a Karina Bacchi.

Casada com Michel Teló, Thais diz que apesar de querer proteger os filhos, não quer que eles cresçam assustados e com medo. “É muito na base da conversa e do diálogo. Tem coisa que não está ao nosso alcance, que a gente só reza e pede a Deus que proteja mesmo”, explicou ela. “Mas o que eu puder fazer para preservá-los, vou fazer, mas dentro de um limite que eles não se sintam criados numa bolha. Não quero que eles vivam com medo, quero que tenham consciência dos perigos do mundo, porque não está longe, está bem próximo de todo mundo. Mas ao mesmo tempo não quero que crescam noiados”, avisou.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

Thais também contou que o maior aprendizado que teve em sua própria criação foi nunca ter apanhado – seus pais não acreditavam em punição física. “Lá em casa nunca foi na base da pancada. Eu lembro que muitas amigas minhas passavam por isso e eu achava legal falar: ‘lá em casa não é assim'”, revelou. “Enquanto minhas amigas tinham medo de contar da primeira vez, primeiro beijo, bebida, eu me sentia à vontade e com vontade de compartilhar”, disse a atriz, que afirmou também não gritar com as crianças mesmo quando elas estão mais entusiasmadas.

“Quando eles gritam, eu falo ‘você tá gritando por quê? A mamãe grita com você? O papai grita com você? Então você não vai gritar também também'”, explicou, revelando sua tática.

Fonte Revista Quem
você pode gostar também