Carmo Dalla Vecchia sobre paternidade: ‘Meu filho ficará feliz em ser exemplo para diminuir preconceito’

O ator Carmo Dalla Vecchia e o marido, o roteirista da TV Globo João Emanuel Carneiro, tornaram a relação pública em junho de 2021, quando o artista participou do quadro Super Dança dos Famosos, no Domingão.

Na ocasião, o ator homenageou o marido e o filho do casal, Pedro, hoje com 4 anos de idade, em um discurso contra a homofobia. “É importante se posicionar”, argumentou, à época.

Carmo Dalla Vecchia e João Emanuel Carneiro — Foto: Reprodução/Instagram
Carmo Dalla Vecchia e João Emanuel Carneiro — Foto: Reprodução/Instagram

Desde então, o ator passou a compartilhar mais sua vida pessoal, especialmente com o filho, em suas redes sociais, onde se define como “O viado da família brasileira”.

“Acho importante as pessoas terem exemplos de paternidades homoafetivas e terem a chance de ver que pessoas como eu podem existir livres como tantos outros heteronormativos sempre foram. Pela forma que educo meu filho acho que, quando ele crescer, ficará feliz em ser um exemplo para diminuir o preconceito“, afirma em conversa com a Quem.

Casado há 18 anos com João, Carmo acredita que o sucesso da relação está no constante interesse de um pelo outro. “Acho que nunca perdemos o medo de nos tornarmos chatos um na vida do outro. Não deposito nele a razão da minha felicidade, nem ele em mim. Somos felizes e resolvemos caminhar juntos”, conta ele, que começa a ensaiar um espetáculo a partir de março em São Paulo.

Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação

Missão anti-homofobia

 

Carmo Dalla Vecchia usa sua visibilidade para combater a homofobia e tem conquistado a web com vídeos de humor e temática LGBTQIA+. “Hoje os maiores medos da população LGBT são vários: morrer, não ter chances de trabalho, não ser aceito em sua própria família e ser descredibilizado por sua orientação sexual”, lista.

Durante muito tempo, o ator evitou declarar que é gay por medo de perder trabalho. “Isso mudou depois de eu ter uma necessidade extrema de acreditar que ser quem eu sou é o único jeito certo de viver melhor. De acreditar que falar sobre quem sou não é errado. O fato de acreditar que meu exemplo poderia ajudar outras pessoas me deu muita força. Quanto ao trabalho, resolvi não pagar mais esse preço para existir”, argumenta.

Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação

”Viado da família brasileira”

 

Carmo se inspirou em Rogéria (1943 — 2017) para criar o título de ‘viado da família brasileira’. “Me lembrei da Rógeria, ‘O Travesti da família brasileira’. Percebi que, sendo um homem branco, tendo passabilidade maior em um universo heteronormativo, com trabalho, casado há muitos anos, com família, com amigos, era muito mais aceito do que a maioria dos viados que sofre simplesmente por serem do jeito que são e por existirem”, pontua.

“Teve um lado desse título que fala que a família brasileira também pode ter viados na sua formação, e isso é lindo, mas tem também um pouco de deboche com essa aceitação seletiva”, completa.

Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação

Toneladas de carinho

 

Desde que começou seu ativismo nas redes, Carmo tem tido um retorno positivo de seus seguidores. “Recebo toneladas de carinho e muitas mensagens. Na rua muitas mães me param para agradecer a representatividade dos seus filhos. Muitos outros vêm até mim e agradecem o exemplo, pois tiveram filhos iguais a mim”, derrete-se.

“Vou montar um espetáculo falando disso. O que mais me marcou foi um homem que me mandou mensagem dizendo que não sabia quem eu era, pois não via novelas, mas que sua mãe era minha fã e que começou a aceitá-lo depois do meu exemplo. Ela ligou para o filho chorando, dizendo que o cara que ela mais amava da TV era igual ao filho dela”, relata.

Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação

Dupla equilibrada

 

Carmo acredita que ele e João se completam na missão de serem pais de Pedro. “O Carmo pai é muito parecido com o que geralmente as pessoas de uma forma machista acham que é o que uma mulher deveria representar na criação de um filho”, avalia.

“Durmo com o Pedro, sei do seu dia a dia, se comeu, o que comeu, as vacinas, os presentes dos professores e coleguinhas, sei se está com febre só de olhar, ligo para o pediatra, decido a roupa e quando cortar o cabelo… Aprendi a ter uma educação respeitosa através de médicas parentais no Instagram. Já o João é o pai que mais brinca com o Pedro e bagunça a hora do jantar dele. Nos completamos sem estresse”, completa.

O ator admite, contudo, que mudou com o nascimento do filho. “Agora tenho um backup externo e visceralmente ou, biologicamente falando, minha vida não existe mais sem ele”, elogia ele, que não teme o envelhecimento.

“Amo o tempo, as marcas dele. Me acho lindo aos 52. Não queria voltar no tempo. Sou vaidoso com meu trabalho. E não tenho muito medo de nada. Me preocupa o aquecimento global, parece que a conta está vindo mais cedo do que nos contaram”, conclui.

Carmo Dalla Vecchia e o filho, Pedro — Foto: Reprodução/Instagram
Carmo Dalla Vecchia e o filho, Pedro — Foto: Reprodução/Instagram
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Carmo Dalla Vecchia — Foto: Vinícius Mochizuki/Divulgação
Banner825x120 Rodapé Matérias
Fonte revistaquem
você pode gostar também
×