Em vídeo, Alcione critica fala de Bolsonaro: ‘Respeite o povo nordestino’

Em áudio vazado, o presidente referiu-se jocosamente à região como 'Paraíba'

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


A cantora Alcione foi às redes sociais neste sábado, 20, para criticar a fala do presidente Jair Bolsonaro, que, jocosamente, referiu-se ao Nordeste como Paraíba” , e exigiu “respeito” do político. A declaração da artista foi endossada por outros famosos, como a cantora Daniela Mercury, o escritor Xico Sá e a influenciadora Thaynara OG.

“Presidente Bolsonaro, não votei no senhor e não me arrependo. Eu sou uma brasileira que não torço contra o governo, porque não sou burra. Mas meu avô já dizia, quem quer respeito, se dá. E o senhor não está se dando ao respeito. O senhor precisa respeitar o povo nordestino. Respeite o Maranhão”, afirmou Alcione, vestindo uma camisa com a estampa da bandeira do estado. Alcione afirmou ainda que o “pensamento é uma força” e o político deve temer o pensamento de milhões contra ele.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

Daniela Mercury endossou o pronunciamento. “É isso aí, amiga! Somos mais de 56 milhões de cidadãos! Viva o Nordeste!”. Thaynara também pediu respeito. “É inadmissível que o presidente se dirija a nós, povo nordestino e maranhense, de forma discriminatória e ofensiva”, disse. Xico Sá seguiu a mesma linha. “Viva o Nordeste e que a Democracia plena volte ao Brasil.”

Em um áudio vazado de um café da manhã com jornalistas, Bolsonaro aparece dizendo ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni: “Daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”. O governador em questão, Flávio Dino (PCdoB), e outros políticos nordestinos condenaram a declaração.

No Twitter, o governador do Alagoas, Renan Filho (MDB), também criticou o presidente. “Não ao preconceito ao Nordeste e ao nosso povo. Respeito, Federação e Democracia são conceitos amplos, que não combinam com visão pequena, mesquinha”, declarou o governador, que é filho do senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Fonte VEJA
você pode gostar também
×