Deputado Boca Aberta xinga e ameaça promotor no plenário da Câmara

Congressista é alvo de investigações do MP-PR, ao lado da mulher vereadora e do filho deputado estadual

Tempo estimado para leitura: 3 minuto(s)


O deputado Boca Aberta (Pros-PR) xingou e ameaçou, nesta 4ª feira (16.jun.2021) no plenário da Câmara, o promotor do MP-PR (Ministério Público do Paraná) Renato Lima de Castro. O congressista o chamou de “maconheiro, vagabundo, meliante, bandido e marginal”. 

Segurando uma placa com a foto de Castro, Boca Aberta se referiu a ele como um “bandido travestido de promotor”, que persegue sua família. “E justiça seja feita, desafio você, promotor maconheiro, desafio você, seu bandido, que foi pego fumando maconha no pé de manga na UEL (Universidade Estadual de Londrina), desafio você a me desmentir”. 

-- Publicidade --

-- Publicidade --

Castro, coordenador do Gepatria (Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa), do MP-PR, é responsável por duas ações civis públicas contra o filho do congressista, o deputado Matheus Viniccius Ribeiro Petriv (PRTB), conhecido como Boca Aberta Junior. As ações foram ajuizadas em 21 de maio de 2021.

Em uma das ações, Boca Aberta Junior é investigado por ato de improbidade administrativa. As investigações apontaram um possível esquema de “rachadinhas” para o pagamento de despesas pessoais, que beneficiariam também sua mãe, a vereadora de Londrina Mara Boca Aberta (Pros), e o próprio deputado Boca Aberta. A prática da rachadinha ocorre quando o agente público recolhe parte ou até a totalidade do salário pago a assessores e funcionários contratados.

 

 

Outra ação aponta possível desvio de materiais esportivos que deveriam ser destinados a escolas estaduais de Londrina pelo deputado estadual, com auxílio de sua assessora parlamentar.

O deputado Boca Aberta também insinuou que o promotor coagiria testemunhas durante depoimentos; “Sabe como é que ele arranca depoimento lá em Londrina? Ele chama a testemunha, coloca a .40 do lado”.

“Me chama. Eu rasgo meu foro privilegiado. Foro privilegiado é para político bandido. Me chama. Põe a sua .40 do lado, eu ponho a minha 9 [mm] do outro, aí a gente mata um frango, compra uma Pitú, e vamos resenhar”, declarou o congressista.

“Eu desafio você. Honre a cueca que tu veste. Venha a público e desminta. Que o senhor tirou a promotora bêbada do local do acidente, toda cagada, mijada, e vomitada. E levou ela do local do crime e não deixou a imprensa sequer filmar. Ou ela assoprar um bafômetro. Desafio lançado”. 

No dia da apresentação das ações, o deputado Boca Aberta disse ao G1 que não há provas contra ele ou sua família. “Não vai provar porque não houve, não tem e jamais terá qualquer irregularidade com a família Boca Aberta”.

“O único racha de salário que tem é com o povo. Eu sempre racho com o povo. Quando eu era vereador, eu rachava 80% do meu salário com o Hospital do Câncer. Como deputado, eu ajudo com cesta básica. O que a gente fazia era uma vaquinha no gabinete e quem quisesse contribuir, contribuía”. 

Fonte poder360
você pode gostar também