Moradores reclamam que prefeitura fez a pintura da sinalização e logo depois recapeou avenida em Palmas

A NS-04, região sul da capital, tinha acabado de passar por pintura na sinalização horizontal, segundo a comunidade. Pedestres reclamam da ausência de faixas para atravessar a via.

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


A avenida NS-04, região sul de Palmas, acabou de passar por um recapeamento. O asfalto está novinho, mas um problema incomoda os moradores. É que a via está sem sinalização. A comunidade conta que semanas antes, a prefeitura havia feito pinturas da sinalização horizontal, incluindo as faixas de pedestres, mas que agora todo o serviço foi perdido.

A Prefeitura de Palmas ainda não se posicionou sobre o assunto.

O trecho fica entre as Arses 131 e 132 (as antigas quadras 1.304 e 1.306 Sul). O estudante Augusto Ivan Matos mora na região e conta que viu a obra acontecer.

“Há mais ou menos umas três semanas, a equipe da prefeitura passou fazendo a pintura das faixas, das faixas de pedestre. Final da semana passada, eles então passaram fazendo esse revestimento da capa asfáltica. Isso logo depois de terminarem de fazer a pintura das faixas”.

Em um dos trechos da via, tem um postinho, uma escola e um ponto de ônibus, mas sem qualquer faixa para o pedestres atravessarem.

Na avenida tem uma placa indicando que a faixa de pedestre está a 50 metros de distância, mas a realidade é outra. A dona de casa Thamires Fernandes teve que atravessar com a filha sem a sinalização da pista. “Tem que por pintura logo porque a gente sempre tem que estar atravessando para ir ao postinho, para ir em alguns lugares e está sem a faixa. A gente corre perigo ao atravessar sem faixa”.

Se engana quem pensa que o problema é exclusivo dos pedestres. Motoristas também estão incomodados com a falta da sinalização horizontal. “Recapearam aqui, era um asfalto novo, recapearam novamente e esqueceram das faixas. Para nós motoristas fica complicado porque a gente acaba perdendo a localização de onde estão as faixas de pedestres”, argumentou o professor Fabiano Vitório.

O engenheiro civil Daybson Dias afirma que o problema se repete na capital. Primeiro a pintura é feita, depois o asfalto é colocado. “São pinturas caras. A pintura de sinalização é uma pintura com uma tinta especial, que tem que resistir às intempéries e também as frenagens dos carros. É uma tinta mais cara. Você vai, perde o serviço, vem com esse trabalho. Precisa ter esse trabalho e agora tem que fazer novamente a sinalização”.

Um outro exemplo é na avenida NS-02, na ACSE-01. Na rotatória tem pintura que acaba exatamente quando começa o novo asfalto. “Deveria rever porque o imposto é caro para todo mundo. Foi um belíssimo trabalho, só que agora vai ter que fazer a sinalização porque não tem como, pode provocar acidente a ausência de sinalização”.

Fonte g1
você pode gostar também