Membros do MPTO cobram plano de ação para contenção do contágio da Covid-19 na região sul da Capital

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Preocupados com a maior concentração do número de casos de Covid-19 na região sul de Palmas, o Ministério Público do Tocantins (MPTO) e o Ministério Público Federal (MPF) reuniram-se, na tarde da última quinta-feira, 18, com representantes da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) para discutir ações efetivas para minimizar o contágio, especialmente no Aureny e Taquari. Só nestas localidades, foram registrados 209 casos até o dia 17 de junho.

Conforme os dados apresentados pela Semus, a situação mais crítica está no Aureny III, onde foram diagnosticados 74 casos, seguido pelo Taquari com 40 casos, 30 casos no Aureny I, 39 casos no Aureny II e 26 casos no Aureny IV.

Diante desta realidade, os promotores de Justiça e o procurador da República requereram que o Município remeta, até a próxima terça-feira, 23, um Plano de Ação que envolva a busca ativa das pessoas que tiveram contato com os contagiados, bem como atuação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Mobilidade Urbana com relação à proteção social, já que podem existir famílias vulneráveis, que apresentem dificuldades durante o isolamento de 14 dias, além da intensificação de fiscalização no comércio da região. “Além da quarentena obrigatória para casos confirmados e suspeitos, buscar todos os contatos, proceder à testagem e garantir assistência de saúde e multidisciplinar para essas pessoas, especialmente as mais vulneráveis, deve ser prioridade na ação a ser implementada para esses bairros”, disse a promotora de Justiça Araína Cesárea D’Alessandro.

O secretário de Saúde de Palmas, Daniel Zemuner, informou que o Município já tem dispensado atenção maior nas áreas periféricas e que estas regiões dispõem de Unidades de Pronto Atendimento e Unidade Sentinela, responsável pelo gerenciamento de risco à saúde, mas destacou a intenção de implantar, nos próximos dias, mais uma Unidade Sentinela. Segundo ele, também será disponibilizada quantidade maior de testagens no laboratório municipal, em razão da instalação de mais um aparelho de testagem, permitindo assim até 800 exames diários.

Participaram da reunião os promotores de Justiça do MPTO, Araína Cesárea Ferreira D’Alessandro e Rodrigo Grisi Nunes; o procurador da República George Neves Lodder; o secretário municipal de Saúde de Palmas, Daniel Borini Zemuner; a diretora de Vigilância e Saúde, Marta Maria Malheiros Alves; a coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Saúde Pública da FESP, Lorena Dias Monteiro; e o médico infectologista do Hospital Geral de Palmas, Flávio Augusto de Pádua Milagres.

Fonte conexaoto
você pode gostar também