Duas secretárias são convocadas para explicar gastos com a pandemia na Câmara de Palmas

Secretárias têm 30 dias para comparecem na Câmara.

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


A Câmara Municipal de Palmas aprovou nesta terça-feira, 1º de setembro, a convocação de duas secretárias municipais para dar explicações sobre gastos e ações relacionadas à pandemia da Covid-19 na Capital do Tocantins.

Conforme o Regimento Interno da Câmara, os secretários têm o prazo máximo de 30 dias para comparecerem na Casa Legislativa após o recebimento da convocação via ofício. O prazo pode ser prorrogado uma única vez por motivos justificáveis.

Uma das convocadas, a secretária da Comunicação, Ivonete Pereira Motta, deve dar explicações referentes ao contrato de R$ 12 milhões para publicidade, assinado recentemente com três agências.

“Precisamos discutir os recursos públicos, principalmente porque envolve milhões de reais que são fruto de contribuição da população palmense. O que precisa ser priorizado é a vida de inúmeros cidadãos que dependem das Unidades de Saúde e das UPA’s para atendimento quando a covid-19”, afirmou o vereador Erivelton Santos (PV), autor do pedido.

Já a secretária Valéria Paranaguá, da Saúde, foi convocada para prestar contas a respeito das providências adotadas para combate à pandemia da covid-19.

O requerimento foi apresentado pelo vereador Moisemar Marinho (PDT). Para ele, a Prefeitura de Palmas precisa esclarecer à sociedade onde e como está sendo aplicado o recurso do Governo Federal, bem como das emendas parlamentares impositivas quem foram destinadas para o combate à covid-19.

“Não faz sentido a prefeitura ter recebido tantos recursos e deixar as pessoas morrendo nas unidades de saúde, mandar as pessoas para casa porque faltam testes, remédios e profissionais da saúde”, criticou.

Moisemar Marinho ainda disse que, só dele, a Prefeitura de Palmas recebeu R$ 689 mil de emenda impositiva para compra de testes rápidos e Equipamentos de Proteção Individual voltados para os profissionais da segurança pública e de todos os que fazem parte da linha de frente de combate à pandemia do novo coronavírus.

Nada mais justo do que a sociedade saber o que está acontecendo com esse dinheiro, pois pedimos informações da prefeitura e não obtemos respostas e, sequer, somos recebidos pela prefeita [Cinthia Ribeiro]”, finalizou.

Fonte afnoticias
você pode gostar também