Cinthia Ribeiro anuncia ‘compromisso’ com o governo de São Paulo para vacinar profissionais da saúde de Palmas

Anúncio foi feito após uma reunião que a prefeita teve com João Dória nesta quinta-feira (7). Prefeitura não disse quantas doses serão recebidas, quando isso vai acontecer ou se haverá custos ao município.

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


A Prefeitura de Palmas informou na noite desta quinta-feira (7) que a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) firmou um compromisso com o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), para ter acesso a doses da vacina CoronaVac. Segundo o município, a vacinação será para os profissionais da saúde da capital.

A prefeitura não informou quantas doses serão fornecidas, quando isso deve acontecer ou se haverá algum custo para os cofres de Palmas. Nenhuma publicação oficial sobre o compromisso foi feita pelo governo de São Paulo até às 19h30 desta quinta-feira (7).

O governo de São Paulo informou durante o dia que a CoronaVac registrou 78% de eficácia nos testes clínicos feitos no Brasil. A vacina contra a Covid-19 é desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. O estudo clínico contou com a participação de 12,4 mil profissionais de saúde.

“Estou muito feliz com esse compromisso, que ocorre justamente no dia em que o Instituto Butantan anunciou a comprovação da eficácia da vacina. Estamos confiantes de que a vacina será aprovada rapidamente pela Anvisa para que possamos ter acesso às doses que vão imunizar nossos servidores da Saúde”, comentou a prefeita por meio da assessoria de comunicação.

Ainda segundo a Prefeitura de Palmas, paralelamente à expectativa pela efetivação do Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19, o município vem mantendo diálogo “com outras frentes” para garantir que os cidadãos palmenses tenham acesso à vacina tão logo os primeiros imunizantes sejam autorizados para uso no Brasil.

A prefeita também fez o anúncio em uma rede social.

Nesta terça-feira (5), governadores de diferentes estados se reuniram por teleconferência com o secretário de vigilância do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, para cobrar um plano, um cronograma de vacinação contra a Covid-19 para todo o país. Contudo, não obtiveram uma data após a conversa.

Já nesta quarta-feira (6), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a vacinação contra a Covid-19 no Brasil começará em janeiro e que o país exportará vacina para países da América Latina, mas isso depende de alguma vacina ser autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o que ainda não aconteceu.

Fonte globo
você pode gostar também