Aprovado o requerimento em que Janad Valcari solicita informações referentes ao prazo para construção da sede do Hospital Municipal de Palmas

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


Sinopse: Documento foi aprovado pelos parlamentares durante a sessão desta terça-feira, 27.

Os parlamentares da Câmara Municipal de Palmas aprovaram durante a sessão desta terça-feira (27), o requerimento em que a vereadora Janad Valcari (Podemos) solicita, em caráter de urgência, informações referentes ao prazo para construção da sede do Hospital Municipal de Palmas e a localização do lote em que a obra deve ser construída.

Conforme afirmou a vereadora, a prefeita Cinthia Ribeiro informou em uma entrevista feita em novembro de 2020 que estava nos planos da prefeitura a construção da sede do Hospital Municipal de Palmas. Cinco meses se passaram sem que o Poder Executivo prestasse esclarecimentos sobre o assunto.

Comparando a situação de Araguaína com a situação de Palmas, Janad Valcari destacou que Palmas possui recursos suficientes para a realização da obra. “Araguaína, que é a segunda maior cidade do estado e possui aproximadamente 183 mil habitantes, conseguiu com um orçamento previsto de 735 milhões inaugurar recentemente o seu Hospital Municipal. Já Palmas, capital do estado com 306 mil habitantes, tem a previsão orçamentária de 1,5 milhão e até agora não construiu um Hospital Municipal”, disse a vereadora, concluindo que o objetivo do requerimento é agilizar os procedimentos de construção, tendo em vista a crise de Covid-19 que assola a capital.

O documento foi subescrito pelo vereador Mauro Lacerda (PSB).

Requerimento na área da saúde

Janad Valcari apresentou ainda um requerimento solicitando do Poder Executivo o pagamento do adicional de insalubridade aos profissionais da saúde, atendentes de recepção, maqueiros, copeiras e ASG que estão na linha de frente ao Covid-19.

“A linha de frente do combate à pandemia nos hospitais, UPA’s e postos de saúde vai muito além dos profissionais da saúde. Os funcionários responsáveis pela limpeza, segurança, portaria, recepção e muitas outras funções essenciais também não tiveram descanso nesse período difícil e infelizmente não estão tendo do poder público o merecido reconhecimento”, informou.

você pode gostar também