Número de queimadas em novembro foi menor para o mês desde 2018, diz Meio Ambiente

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgados nesta segunda (6) mostram 11.596 focos de queimada no mês em 2021, contra 13.014 em 2018

Tempo estimado para leitura: 3 minuto(s)


O número de focos de queimada em novembro de 2021 foi o mais baixo registrado para o período desde o ano de 2018. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgados nesta segunda-feira (6) pelo Ministério do Meio Ambiente, foram 11.596 focos de queimada no mês este ano, contra 13.014 pontos de calor detectados em novembro de 2018.

A Amazônia foi o bioma com a maior queda de focos de incêndio, segundo o instituto, com uma redução de 35%. Em novembro de 2018, foram 8.881 focos; no mesmo mês em 2021, passou para 5.779.

-- Publicidade --

-- Publicidade --

Os números de focos de queimadas de janeiro a novembro de 2021 também mostram redução em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo dados divulgados pelo Inpe, a região do Pantanal registrou a queda de focos de queimada mais expressiva: 63% no período.

Entre janeiro e novembro de 2020, foram registrados mais de 21 mil focos de incêndio no bioma. No mesmo período em 2021, o número caiu para pouco mais de 8 mil, conforme o instituto.

O Ministério do Meio Ambiente atribui o resultado ao aumento de verba destinada para o combate aos crimes ambientais no Brasil. O orçamento da pasta neste ano passou de R$ 228 milhões para 478 milhões, um aumento de R$ 270 milhões.

“Os resultados positivos são fruto da operação Guardiões do Bioma, que atuou de forma expressiva no combate às queimadas nos biomas brasileiros. A operação, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, trabalhou de maneira integrada com os ministério do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Regional, além de Ibama ICMBio”, afirma a pasta em comunicado.

Segundo o ministério, foram publicados os dois editais para contratação de 739 novos servidores que vão ampliar o quadro de fiscais do Ibama e do ICMBio.

“Mais de 17 mil focos de incêndio foram combatidos e 1.100 animais foram resgatados. A ação também apreendeu 5 mil m² de madeira, 32 máquinas e aplicou mais de 1,5 mil multas”, diz a pasta em comunicado.

Desmatamento na Amazônia em alta

Apesar de o número de focos de queimadas em novembro ter diminuído, o desmatamento da Amazônia neste ano atingiu a marca de 13.235 quilômetros quadrados entre 1 de agosto de 2020 a 31 julho de 2021, alta de 21,97% na comparação com o ano passado.

Os dados apurados pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) foram divulgados em um documento no site do governo federal no dia 11 de novembro.

Segundo o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, o governo federal tem unido forças com o Ministério da Justiça e Segurança Pública para combater essa prática. Em entrevista coletiva em novembro, Leite destacou que a atuação começou há três meses e, por este motivo, segundo ele, não estaria dando resultado ainda.

“Os resultados têm que aparecer nos números. O resultado dessa atuação que começou nos últimos 3 meses tem que começar a refletir nos números, porque ainda não apareceu”, disse. “Vamos começar a executar o orçamento de mais de  milhões para o Ibama e ICMBio para deixá-los mais modernizando.”

Fonte cnnbrasil
você pode gostar também