Diretora da Precisa se cala e CPI remarca depoimento para esta quarta-feira

Tempo estimado para leitura: 2 minuto(s)


O presidente da CPI da Covid no Senado, senador Omar Aziz (PSD-AM), decidiu reconvocar a diretora-executiva da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, para depor à comissão nesta quarta-feira (14), a partir das 9h.

A decisão de Omar se deu pouco depois do depoimento de Emanuela ser retomado após mais de sete horas de interrupção, depois que ela se negou a responder às perguntas dos senadores. Assim que a sessão retornou, ao ser questionada pelos senadores, a executiva repetiu várias vezes estar física e mentalmente “exausta” e pediu o adiamento do depoimento.

Mais cedo, ao Emanuela se recusar a responder os parlamentares por conta de um habeas corpus que conseguiu no STF (Supremo Tribunal Federal) e por orientação de seus advogados para se manter em silêncio, senadores argumentaram que ela só poderia se recusar a responder sobre questões que poderiam incriminá-la.

Diante do impasse, o presidente da comissão, Omar Aziz, enviou ao presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, um ofício com consulta formal em relação aos limites do benefício concedido à depoente, que respondeu caber à CPI decidir sobre medidas contra a depoente que abusa do direito ao silêncio.

Nesta quarta, também deve depor à comissão o sócio-administrador da Precisa, Francisco Maximiano, chefe de Emanuela. Também estava previsto o depoimento do reverendo Amilton de Paula, mas ele apresentou um atestado alegando um problema renal, confirmado pela perícia do Senado.

Fonte istoe
você pode gostar também