Bolsonaro indica Crivella como embaixador, mas ele não pode deixar país por decisão da Justiça

Tempo estimado para leitura: 1 minuto(s)


247 – Jair Bolsonaro indicou o ex-prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), para a embaixada do Brasil na África do Sul. No entanto, Crivella está proibido de deixar o país quando teve seu passaporte apreendido em fevereiro, após decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), que revogou sua prisão domiciliar.

Reportagem do Uol destaca que a escolha de Crivella para embaixador acontece em meio à pressão de líderes religiosos ligados à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD). Há meses, eles enfrentam problemas no continente africano, especialmente em Angola, que tem denunciado pastores brasileiros sob suspeita de lavagem de dinheiro.

O passaporte de Crivella foi apreendido em processo em que é acusado de ter comandado um esquema de pagamentos a credores da prefeitura do Rio em troca de propina que arrecadou mais de R$ 53 milhões em depósitos feitos de modo pulverizado para mais de 20 empresas de fachada, em nome de laranjas, criadas pelo grupo de Crivella.

Fonte brasil247
você pode gostar também